Artigos

Astrologia Esotérica – Interpretação da Obra de Johfra – Câncer

ASTROLOGIA ESOTÉRICA – CÂNCER
Câncer, o “aquoso” e lunar signo zodiacal do Caranguejo é um dos mais débeis no que se refere à força vital. De extrema timidez, esses nativos guardam para grandes e excepcionais momentos, sua grande sensibilidade, afetada pelo excesso de imaginação. Por isso mesmo, escolhem muito os seus amigos e resultam exigentes para com eles, chegando aos limites da autocracia; exigem e dão sinceridade. Pelo que são confiáveis.
A lâmina de Câncer, o caranguejo, diz muito sobre o afirmado. As mãos que indicam o empenho de guardar segurança. Demonstram avareza no tipo inferior, e sabedoria no superior, como as mãos que sustentam o globo com a cruz do COMANDANTE.
A LUA, regente do signo, mostra-se por toda parte nesta pintura: acima e abaixo, à frente e atrás, dentro e fora. As CONCHAS, extraídas do fundo do mar mostram que é necessário submergir-se em sim mesmo para se extrair as pérolas das realizações, encerradas nos níveis mais profundos do nosso Ser. Um ESCARAVELHO, símbolo egípcio da Alma, apodera-se de uma das tais perolas; e ao seu lado, uma das mãos trata de colher uma das joias lunar, a qual tem inserida em si o número 69, sexto e nono mandamentos: não fornicar e não adulterar; ao mesmo tempo, corresponde ao, que é “O AZAR”. Abandonando o Caracol complementar dos Mistérios Serpentinos Astecas, emergirá tal caranguejo.
O CARACOL representa as espirais ascendente e descendente da Vida, a metempsicose ou reincorporação das Almas, ou processo do nascimento e morte, governado por GABRIEL, o regente da Lua e Senhor da concepção e dos nascimentos.
Sobre a praia duas tartarugas, as quais representam lentidão espiritual, e se também o simbolismo do caranguejo é o caminhar lateralmente e de costas, retrocedendo, tais símbolos podem ser também de longevidade, se o nativo deste signo, como o anjo dos íntimos anelos espirituais, remontar-se ao estrelado céu de Urânia, enquanto aponta com seu arco e sua flecha aos mais elevados anseios.
N. do E.: Este anjo é Ártemis (a Diana romana), deusa da caça e da Lua. Ártemis é frequentemente retratada com o arco e flecha e com a Lua Crescente. Em suas imagens, às vezes o seu arco é a própria Lua Crescente. O símbolo do canto superior é o selo planetário da Lua. Este está envolto pela serpente com cabeça de águia.
No ângulo esquerdo superior da lâmina vemos a cruz de Santo André, com as suas quatro fases lunares, é defendida pela serpente da Sabedoria e da pura gloria; isso mostra a necessidade da morte por ciclos, ou seja, dia após dia. As plantas que vemos à direita superior, deixam transparecer algumas bases de uma espécie de construção que em si mesmas, são pura simbologia alquímica: o círculo, o triangulo, o quadrado e o pentágono, que tem inserido o ÁS de OURO (com o TETRAGRAMMATON), o Ás de Espadas (a ESPADA FLAMEJANTE), o Ás de Copas (o CÁLICE DO SANTO GRAAL) e o Ás de Paus (o BÁCULO DO MAGO).
N. do E.: Perceba que o pentagrama está num buraco que tem formato de círculo, a espada num que tem formato de triângulo, o cálice num quadrado e o báculo num pentágono.
No mesmo flanco aparecem duas chaves, a “TAU” egípcia, e a outra, famosa por abrir “nossas portas”; com estas clavículas podem se passar por todas as provas e se desvelar todos os mistérios.
O castelo adornado ao fundo mostra a luz submersa na terra, o ÍNTIMO esperando que levantemos seu ADHYTUM, ou o Templo Vivente; enquanto faz refletir a luz interior, o sábio que convive com as multidões oculta seu esplendor e, no entanto, permanece sempre lúcido, extraindo de seu “subconsciente” riquezas e mais riquezas.
As mãos tomam por todas as partes as joias lunares e as plantas, (as virtudes) que correspondem ao satélite, pois uma das características deste signo é o amor às comodidades e ao seu lar, ainda que a Lua lhes traga muitas mudanças.
O cofre meio enterrado mostra que os nativos são muito reservados, ainda que quando expressam suas opiniões, o fazem com grande fraqueza; são pacíficos e de fácil adaptação às diferentes circunstancias, de maneira que não são companheiros problemáticos.
De acordo com os Mistérios Órficos, Câncer é o umbral pelo qual passam as almas que entram pelo ciclo de “RETORNOS METEMPSICÓTICOS”; isto é, sem dúvida, pertencente aos domínios da Lua, daí ser este o planeta que os rege. Este ciclo de retornos está muito bem representado pelas espirais do caracol, do qual o caranguejo faz sua morada, com um hóspede invasor.
Nos diversos simbolismos, especialmente entre os astecas e os egípcios, o caracol é a espiral microcósmica agindo sobre a matéria. As pérolas, segundo os chineses e sua sabedoria, representam o gênio da obscuridade e as virtudes ocultas, daí as conchas ocultá-las em si mesmas, ainda mais na profundidade das águas. Uma ramificação do Ocultismo, em relação às pérolas, é o do Islamismo, que conceitua que ir ao céu é encerrar-se numa pérola…
Câncer se refere profundamente à alma humana em todos os ciclos e mistérios; por isso não é de se estranhar que a pérola sempre representou a alma. Alquimicamente, sustenta-se que a pérola é um resultado do conúbio entre o fogo e a água. E é a água, o elemento dos cancerianos, e GABRIEL, o seu Regente, a quem devem invocar tais nativos para suplicar-lhe a aniquilação de seus defeitos, imaginando que suas auras são envoltas por uma coloração prateada.

DEFEITOS
(alguns deles):
Timidez, retraimento; identificação com as preocupações; exagero na escolha das amizades, e autocracia nas mesmas; caráter cambiante.

CÂNCER E O AMOR:
Definitivamente, o sentimentalismo é a essência do canceriano; necessita demasiadamente de amor e compreensão, acima de tudo sem que esteja interessado noutra coisa é demasiado sonhador e mutável como a Lua, bastante imaginativo (o que requer a compreensão do próximo). Se, quando criança, não tiver recebido muito afeto, quando adulto sempre se achará perturbado, em maior ou menor escala.
O canceriano nos seus romances é muito exigente, requer e pede muita atenção, o que pode incomodar seu companheiro. São apaixonados, de uma maneira lunar, fria, são esperançosos e temerosos. Sua imaginação lunar os faz muito teatrais e vivem verdadeiramente seus próprios dramas, com suas tristezas e alegrias. Requer muita ternura e a dá com muita cautela, para posteriormente não se sentir ferido. Pode se mostrar teimoso e obstinado como o caranguejo que se esconde em seu caracol, quando sua imaginação o faz ver coisas que não existem, ou o faz vê-las agigantadas, quando são na realidade passageiras.
A imaginação lunar o faz necessitar constantemente de um romance amoroso e, se não o tiver, sente-se inseguro, instável, o que dá a impressão de ser teimosia e volubilidade. Quando decide entregar seu amor, entrega-o por completo, porém exige muita coisa que é difícil encontrar.
Para o canceriano, o mais importante é o ambiente doméstico, resultando demasiado carinhoso para com seus filhos; porém, pode haver casos em que um nativo de Câncer contraia matrimonio por pura “conveniência”, mas o que busca na realidade é a segurança, nada mais que isso.
O capricho lunar lhe imprime maravilhosamente o aspecto maternal, o que se pode notar mesmo nos homens. Como é imaginativo, idealiza muito a seu companheiro, o que pode resultar em grande perigo, já que a única maneira de não se desiludir é não se iludir.

O HOMEM DE CÂNCER
Resulta bom companheiro, muito simpático, e logrará graças a seu temperamento agradável, conseguir tudo o que ele deseja obter, mas, sua volubilidade lunar o faz um companheiro difícil, porque no fundo é autoindulgente, brando, passivo, e por isso resulta ser muito estranho à “vida-comum”. Apreciador de seu próprio ambiente, busca o melhor: a segurança, o conforto, a educação dos filhos, a fartura na mesa (não pelo prazer, mas pela sua necessidade). Para ser fiel, busca idealizar à sua companheira, coisa que não o logra sempre, pois suas concepções são muito particulares: fixa sua atenção nos mínimos detalhes, dos quais se queixa.
A mulher de um canceriano necessita aguçar demasiadamente seu talento, flexibilidade e diplomacia, coisas que em verdade são difíceis de se achar. Ademais, a imaginação do nativo de Câncer é tão fértil, que chega a ser, não raro, hipocondríaco, a criar doenças que em verdade só existem em sua imaginação lunar, mas que o faz prostrar-se em convalescença.
Enfim, tem caráter exigente para com os demais, de maneira que não pode ter o mesmo gênio que eles.

A MULHER DE CÂNCER
A Lua é um “planeta” nitidamente feminino; portanto, é nesse sexo que as características do signo se encontram mais acentuadas. A sensibilidade da canceriana é realmente agradável: poética, romântica, imaginativa; são laços realmente fascinantes que a muitos homens enlaçam.
Embora sua imaginação a faça sair por vezes da realidade, a ponto de torná-la errante e volúvel, requer uma grande dose de vontade e realismo para retornar novamente ao caminho reto.
Afora isso, a nativa de Câncer é uma boa esposa, que pode suprir a seu marido: cuidados, afetos, romances, detalhes e comodidades que tem efeito ao bem-estar da vida conjugal.
Tende, também, a idealizar seu companheiro, que deve ser dotado de atributos e características invejáveis, etc., a tal ponto que se se decepciona, o golpe pode ser verdadeiramente forte; e aos cancerianos isso lhes afeta muito.
No entanto, conta com grande firmeza interna, e saberá usá-la em si mesma, e também em seu companheiro, em casos extraordinários de necessidade. Como mãe, é muito dedicada, e por vezes exagerada. Viver com uma canceriana é viver com uma “Lua variável”, no que se necessitará compreender consideravelmente.

CÂNCER E OS OUTROS SIGNOS

COM ÁRIES: Ambos ambiciosos, porém com metas diferentes; coincidem nas crises de manifestações violentas, pelo que se enfrentarão nas crises duras e quase impossíveis de superar se suas explosões se coincidirem. O caranguejo gosta de rever o passado, e jamais o esquece; já o inverso se passa com Áries; união difícil.

COM TOURO: Ambos se sensibilizam com a Lua, de tal modo que suas instabilidades são semelhantes. São domésticos, sensuais, amorosos, amantes do conforto do lar, e juntos na vida podem desfrutar amplamente. O firme e assentado Touro pode dar apoio a Câncer. Dupla harmônica.

COM GÊMEOS: Câncer doméstico, Gêmeos errante: dupla desigual. O volúvel Câncer não entende o mutável Gêmeos, são díspares nos acontecimentos repentinos. Dupla um tanto difícil; é melhor que o geminiano seja a mulher.

COM CÂNCER: Desacordos contínuos que podem ser superados por circunstancias de educação e ambientes afins. Podem chegar a se compreender mutuamente e ajudar-se nos projetos. Casal que pode prosperar.

COM LEÃO: O romantismo de Câncer e seu estado passivo chocam-se com o orgulho de Leão; porém, apesar de tudo, se lograrem o entendimento, serão um casal feliz, pois o Leão encontrará a quem manejar.

COM VIRGEM: Pode ser uma boa dupla: com o tempo a fantasia de Câncer pode mobilizar a roda analítica de Virgem, e ao mesmo tempo receber a seriedade deste. Virgem é um pouco frio para o idealismo e a ânsia de calor do canceriano.

COM LIBRA: Relativamente difícil, já que Câncer é introvertido e Libra é aventureiro e de grande sentido de liberdade, de tal maneira que pode fazer o pobre canceriano sentir-se abandonado e este com sua fértil imaginação, tornará tudo pior, acrescentando em tudo a corrosão de seus ciúmes.

COM ESCORPIÃO: Atraem-se especialmente no aspecto sexual; no entanto, Escorpião deve encher de ternura nas relações, para que estas perdurem; ambos necessitam acabar com o defeito do “eu” possessivo e do “eu” ciumento, que consomem às duplas, formadas por esses dois signos. Se se redimirem dessas escorias, podem dar bons frutos.

COM SAGITÁRIO: União não conveniente, pois Sagitário é por demais extrovertido para o circunspecto Câncer, a tal ponto que esses caracteres diferem notavelmente.

COM CAPRICÓRNIO: Podem se harmonizar, se o propuserem, especialmente se Capricórnio se tornar um pouco mais romântico.

COM AQUÁRIO: Dupla difícil, Aquário é dado as amizades, à extroversão, oposto à fixa circunspecção do canceriano; demasiada contrariedade de caracteres.

COM PEIXES: Boa união, pois se ligam intimamente no romantismo, sensibilidade e amor ao lar. Entendem-se no sentimento e na emotividade.

Extrato da Obra Astrologia Esotérica (Autor Desconhecido)

anterior                                                                                                                                                                                                                                                                próximo

Deixe uma resposta

*