Artigos

A LUZ E SEUS MISTÉRIOS

rays-of-light

O objetivo mais profundo do ser humano é conhecer e realizar em si mesmo os Mistérios da Luz. Quando se trata da busca do autoconhecimento, quando se trata da busca de si mesmo vemos que essa estrada está repleta de perigos por dentro e por fora. Lidar de maneira displicente com essa afirmação dos antigos Sábios é realmente buscar a própria derrocada. Para todos aqueles que buscam o Caminho, quer estejam iniciando ou tenham já alguns anos de estrada há que considerar a Luz e seus mistérios.

No livro sagrado dos Gnósticos o nome da Luz aparece 1826 vezes (1+8+2+6=17), essa é a única esperança que podemos ter ao longo da pedregulhosa senda que conduz ao Nosso Ser.

Nos ensina o Sábio “Não esqueças nunca que o Velocino de Ouro é o Tesouro da Luz.” (Pistis Sophia)  O Velocino de Ouro é o prêmio máximo que busca todo Caminhante do Sendeiro, entender que o Velocino faz parte dos mistérios da própria Luz é fundamental para irmos nos guiando gradativamente por esse Caminho e não nos percamos nas Trevas Exteriores, ou numa falsa Luz.

A Divindade possui todas as coisas, tem poder sobre todas as coisas e pode todas as coisas. Como filhos, temos direito à herança secreta de nosso Pai, temos direito a obter aquilo que é nosso e que será entregue de acordo com o Nosso Merecimento. Buscar preparar-se para ser merecedor do Tesouro da Luz e de todos os seus Mistérios é uma tarefa verdadeiramente grandiosa e que vale a pena todo e qualquer esforço. Humanamente falando nos esforçamos por obter coisas tão passageiras, bens, propriedades, etc etc, que tem é claro o seu valor humano, mas nos questionamos se os Bens Maiores que a Divindade tem para nos legar e transmitir, o conhecimento das Eras, a Sapiência guardada nos registros Akáshicos da Nossa Própria Natureza Interior Profunda não seria um espólio de Guerra Maravilhoso? Conformar-se com o pouco ou com quase nada é o carinho das trevas. É como conformar-se com o Não-Ser.

Não se trata da exibição pública de habilidades ou conhecimentos, não se trata de ser visto como o maior, mais belo ou que sabe mais, porém é ver e acessar em sua natureza interior e espiritual, no Seio Particular Íntimo de cada um de Nós a suprema verdade que se manifesta no silêncio do Instante.

“Ao que Sabe a Palavra dá Poder, ninguém a pronunciou, ninguém a pronunciará senão somente aquele que O tem encarnado.” A Palavra confere o Poder a quem A Pronuncia, o Poder de Ser em Si, o Poder de Realizar em Si, o Poder de Fazer em Si.

Raul Marcelo Oliveira

Deixe uma resposta

*