Artigos

Origem das Palavras

book_of_the_dead_213170905032331358704261177

A Etimologia é o estudo das palavras através da análise de sua origem e dos elementos que a compõe. Segue abaixo, palavras, termos e significados para compreensão nos estudos e ensinamentos gnósticos.

 

 

A

Aaru ou Sekhet-Aaru: ‘Campos de junco’, na mitologia egípcia, representa o paraíso e morada dos que ao passar pelo julgamento no tribunal divino, seu coração (símbolo da alma) pesava exatamente o mesmo que a pluma de Maat (deusa da Verdade e Justiça). São então autorizados a iniciar uma jornada para Aaru, onde encontrariam longo prazer e felicidade.

Absoluto: Do Latim Absolutus, ‘Que não possui solução, que é indefinível’. De Ab-, ‘desligado’ e Solutus, ‘solução’. Em Grego é To Apolyton, ‘isento de relação, limitação, ou dependência’. Absoluto é aquilo que existe por si mesmo, que é incondicionado.

Alcorão ( نآرقل ): Do Árabe, ‘Recitação’. É o livro sagrado do Islã.

Alegria pelo bem alheio: Alegria, do Latim Alacer, ‘animado, contente’. Alheio, do Latim Alienus, ‘relativo a outro’. É estar contente pelo que os outros possuem.

Alma: Do Latim Anima, ‘alento, ar, sopro’, derivado de Animus, que é ‘o que anima a vida, o que dá movimento’.

Altruísmo, do Francês Altruisme, ‘ausência de egoísmo’, que vem de Autrui, ‘relativo aos outros’.

Ammit: Na Mitologia Egípcia, é a personificação da punição para aqueles que ao passar pelo tribunal divino, tem sua alma (coração) mais pesado que a pluma de Maat, e por isso não podem ser aceitos no Aaru (Céu). Ammit é representado como um leão com cara de crocodilo, pronto para devorar (destruir) a alma do condenado.

Amor: Do Latim Amor, vem da raiz Indo-Européia ‘Am-‘, que está associada também a palavra ‘Mãe’ e ‘Amizade’. Na Psicologia Gnóstica o Amor representa a soma de todas as virtudes.

Anjo: Do Grego Angelos, ‘mensageiro’. Na antiga cultura hebraica, alguém que fosse considerado um mensageiro de Deus era chamado de Anjo.

Antakarana ( ): Do Sânscrito significa literalmente ‘que atua entre’. Na Metafísica Gnóstica o cordão de Antakarana é o que atua ligando o corpo físico ao astral.

Anúbis: Do Grego Anoubis (Ἄνουβις), é o nome grego para o deus egípcio associado ao julgamento da Alma após a morte, que era representado com cabeça de chacal, simbolizando o rigor da Lei divina.

Arte: Do Latim Ars, ‘talento’ ou ‘habilidade’. Sua origem está na palavra Indo-Européia Ar, que é ‘unir, juntar, fazer encaixe’. A união harmônica resulta em arte.

Asana ( ): Do Sânscrito, ‘postura’.

Arrogância vem do latim Arrogare, ‘exigência’, no sentido de ser exigente de um reconhecimento que não merece.

Asgard: O céu na mitologia nórdica antigo, é o reino dos deuses (Æsir), e o destino dos guerreiros mortos em batalha (psicológica).

Atividade, do Latim Activitas, de Activus, ‘que faz’, de Agere, ‘agir, realizar, fazer, colocar em movimento’.

Átomo: Do Grego Atomon (άτομο), ‘sem corte, sem divisão’, palavra utilizada inicialmente pelos filósofos gregos antigos (Aristóteles, Leucipo, Demócrito e Epícuro) para referir-se a menor unidade que forma a matéria. Atualmente mesmo sabendo-se que o Átomo é composto de partículas subatômicas, ele ainda é considerado a menor unidade que caracteriza uma matéria.

Auto-Gnosis: Do Grego Autós, ‘próprio, por si mesmo’ e Gnosis ‘Conhecimento’, ou seja, conhecimento próprio, obtido por si mesmo.

Avareza vem do Latim Avarus, ‘que quer muito, que deseja desesperadamente’.

Avatara ( ): Do sânscrito, significa literalmente ‘o que desce’. Refere-se a um indivíduo sagrado que desce a Terra reencarnando-se para uma missão como transmitir ensinamentos espirituais a humanidade.

Avesta: Texto sagrado, Conjunto de escrituras do zoroastrismo.

Avidez do Latim Avidus, ‘ambicioso’, de Avere ‘desejar com intensidade’.

Avitchi: Do Sânscrito, significa ‘inferno ininterrupto’. Na cultura budista é a região correspondente aos estados negativos de consciência.

 

B

Balança: Do Latim Bilanx, “Dois Pratos”.

Bhagavad-Gita ( ): Do Sânscrito, significa ‘Canção de Deus’. É o livro sagrado hindu que relata o diálogo entre Krishna (o Ser) com Arjuna (a alma humana), seu discípulo guerreiro, em pleno campo de batalha (interna).

Bíblia (βίβλια): Do grego, significa ‘rolo’ ou ‘livro’.

 

C

Cabeça de Legião: Cabeça, do Latim Caput, ‘o que comanda’. Legião, do Latim Legio, ‘o que existe em grande quantidade’.

Caduceu de Mercúrio: Caduceu, do Grego Kerykeion, ‘Bastão de Arauto’, onde Arauto é um mensageiro que faz proclamações. Na mitologia romana, Mercúrio (associado ao deus grego Hermes) é o mensageiro dos deuses. Devido à rapidez dos vôos de Mercúrio para chegar de um lugar ao outro, seu nome é associado ao sentido de volátil e instável, ou que não pode ficar parado, igual às características da energia sexual. Por isso o Caduceu é associado às transações, ciências contábeis, etc., assim como o bastão de Esculápio (o que possui apenas uma serpente) é associado à medicina, saúde, regeneração, etc.

Caos: Do Grego Chaos (Χάος) ‘abismo’. Segundo a filosofia de Pitágoras, caos é o que ainda não recebeu a ordem, ou seja, que ainda não é um Cosmos.

Caridade: Do Latim Caritas, ‘estima, afeto’, de Carus, ‘caro, agradável, querido’, ou seja, a demonstração de ‘carinho’ por alguém através de uma ação altruísta.

Castidade: Do Latim Castitas ‘pureza’, que vêm de Castus ‘puro’. Pureza, do Latim Puritas, tem origem na palavra Grega Pyr ‘fogo’, logo Purus é ‘limpo pelo fogo’, ou seja, àquele que Transmuta o fogo (energia) é casto.

Celibato: Do Latim Caelibatus, de Caelebs, traduzido geralmente como ‘estado de solteiro’ porém que tem seu sentido melhor esclarecido na possível junção das palavras Gregas Koith, ‘coito, sexo’ e Leipw, ‘repudiar, abandonar’, ou seja, com o sentido de renuncia ou aversão a sexualidade.

Céu: Do Latim Caelum, ‘brilhante, iluminado’.

Chakra: Do Sânscrito, significa ‘roda, disco, centro, vórtice ou plexo’.

Ciência: Do Latim Scientia, derivado de Scire, ‘conhecer’. Refere-se aos métodos e práticas utilizadas para conhecer a realidade de algo.

Círculo Esotérico/Exotérico: Esotérico, do Grego Esoterikos (εσωτερικός) ‘o que está dentro’. Refere-se ao nível interior ou essência do conhecimento, capturada somente por aqueles que estão aptos (círculo interno) a entender o significado. Exotérico é antônimo de Esotérico, ou seja, ‘o que está fora’. É a forma pública de um ensinamento, sua roupagem ou decoração, adequada aos que não estão aptos (círculo exotérico) a entender o profundo significado.

Círculos Dantescos: A expressão vem do escritor medieval Dante Alighieri, que relata em sua obra A Divina Comédia a descida ao inferno, estando acompanhado de seu guia, Virgílio.

Cobiça: Do Latim Cupiditas, ‘desejo intenso, ambição’. Vem de Cupidus, ‘desejoso’.

Cólera vem do grego kholé, que se traduz como ‘bile’, devido a que os médicos antigos consideravam o excesso da bílis (fluido produzido pelo fígado) no organismo relacionado à raiva e a cólera.

Consciência: Do Latim Conscientia, de Consciens ‘estar ciente, percebendo’. Vêm da expressão Cum se scire actione, ‘quando se sabe a ação’, no sentido da percepção do que está acontecendo.

“A Consciência nos dá o conhecimento integral do que se é, de onde se está, do que realmente se sabe e do que certamente ignora.”

Samael Aun Weor

Cosmos: Do Grego Khosmos (κόσμος) ‘O mundo enquanto ordem’, segundo Pitagóras. Para a Metafísica Gnóstica, cada Cosmo refere-se a uma “Ordem de Mundos”.

Cristo: Do Grego Khristós (Χριστός), ‘ungido’. No Hebraico é Mashiach ( ), ‘messias’.

 

D

Daath ( תעד ): No Hebraico, refere-se ao conhecimento místico do oculto ou desconhecido, que revela ao indivíduo os mistérios da árvore da vida. (Pronúncia: Dá át).

Darma ( ): Do Sânscrito Dharma, significa ‘lei natural’, mas também está associada a ‘virtude’ e ‘mérito’. A palavra foi utilizada pelo Buda histórico (Gautama) para identificar os ensinamentos e preceitos (lei natural) necessários para alcançar a felicidade e transcender a dor, através de méritos gerados por ações virtuosas, altruístas, justas, retas, etc.

Decálogo: Do Grego Deca, ‘dez’, mais Logon, ‘palavra’, ou seja, as ‘dez palavras’

Desânimo vem do Latim Desanimus, que literalmente significa ‘sem alma, sem alento’.

Defeito: Do Latim Defectus, ‘falha, queda’, ligado a Deficere, ‘falhar’, formado por De-, ‘fora’, mais Facere, ‘fazer’, ou seja, literalmente ‘deixar de fazer’. Na Psicologia Gnóstica refere-se às expressões psicológicas que condicionam a Essência a deixar de fazer suas ações naturais, resultando em ações equivocadas.

Desejo: Do Latim Desiderium, relacionada originalmente a expressão De Sidere ‘dos astros’. O veículo Astral comum também pode ser chamado de corpo de desejos.

Diagrama: Do Grego diagramma, de diagraphein, dia ‘entre’ e graphein ‘gráfico, letra, marca, desenho’. Diagrama é uma representação gráfica de algo.

Etimologia dos corpos Internos:

CORPOS NOME CRISTÃO SEPHIROTES NOME CABALÍSTICO ATRIBUTOS
Pai Serafins Kheter Hajotha Kadosh Coroa Suprema
Filho Querubins Chokmah Ophanim Sabedoria

 

Espírito Santo Tronos Binah Aralim Inteligência
Íntimo Dominações Chesed Hasmalim Amor

 

Alma Divina Potestades Geburah Seraphim Justiça
Alma Humana Virtudes Tiphereth Malachim Beleza
Corpo Mental Principados Netzach Elohim Vitória
Corpo Astral Arcanjos Hod Beni Elohim Esplendor
Corpo Vital Anjos Jesod Cherubim Fundamento
Corpo Físico Iniciados Malchuth Ischim O Reino

 

 

Dianóia (διάνοια): Do Grego, Dia ‘entre’ e Nóia ‘inteligência, conhecimento’, termo utilizado por Platão para referir-se a um estado de consciência entre Pistis (opinião, crença) e Nous (conhecimento verdadeiro, intuitivo), caracterizado pela análise intelectual, buscando o sentido e a causa por trás das idéias, fenômenos, eventos, etc. É traduzido geralmente como ‘análise intelectual’ ou ‘razão discursiva’. Na doutrina Gnóstica refere-se ao estado de Autoconsciência, caracterizado pela análise, revisão intelectual e auto-reflexão sobre o que se sabe ou se está vivenciando no momento.

Diligência: Do Latim Diligentia, ‘cuidado, atenção’, de Diligere, ‘valorizar muito, escolher’. Refere-se ao zelo, dedicação, esforço, e cuidado que se deve ter. Aquele que está atento, desperto, é diligente.

Doutrina: Do Latim Doctrina, ‘conjunto de ensinamentos’.

 

E

Ego: Do Latim Ego, ‘eu’.

Eikasia (εἰκασία): Do Grego, ‘sonho’ no sentido de ilusão ou fantasia. A origem está no filósofo Platão que referiu-se ao maior grau de ignorância humana, um estado em que se fica absorto em imagens (as sombras ou ilusão dos sentidos) e não se consegue discernir a irrealidade do que se percebe. Na Doutrina Gnóstica refere-se ao Sono da consciência, a profunda abstração na agressividade, instintividade, ignorância, etc., onde não se analisa ou reflete sobre o que se está fazendo.

Elementais: A vida que povoa os elementos, ou seja, os seres associados à 4ª dimensão, segundo a doutrina gnóstica.

Elemento: Do Latim Elementum, refere-se a algo que é ‘básico’ (elementar), devido a que Elementum era o nome que se dava ao alfabeto Romano, onde as primeiras letras eram L, M e N (eLeMeNto), assim como a palavra Alfabeto vem de Alfa e Beta, por ser A e B as primeiras letras do alfabeto Grego. Nesse caso Elemento refere-se ao que é básico na matéria. Antigos filósofos como Aristóteles, consideraram a matéria constituída de elementos básicos como fogo, água, terra e ar.

Eletropsíquico: Que é elétrico e psicológico.

Energia: Do Latim Energia, do Grego Energeia, ‘atividade’. Onde quer que haja atividade, há energia.

Espírito Santo: Espírito vem do Latim Spiritus, ‘respiração, alento’, formada pela palavra Grega Pyr, ‘fogo’. No Grego, Espírito é Pneuma, ‘ar, respiração’. Santo vem do Latim Sanctus, ‘sagrado’.

Espermatozóide: Do Grego Sperma, ‘semente’, mais Zoon, ‘animal’. O mesmo que Zoosperma.

Essência: Do Latim Essentia, deriva do verbo Esse, que é ‘Ser’. É o que faz algo Ser a si próprio, ou seja, a sua substância original, mais íntima, pura.

Evolução: Do Latim Evolutione, ‘ato de desenrolar’, no sentido de desenvolver.

 

F

Faquir: Do árabe Faqr ( رقف ), ‘austero’ ou ‘pobre’. Refere-se em geral aquele que leva uma vida de renúncias, privações, padecimentos voluntários, que busca obter um domínio total sobre o corpo e os sentidos físicos. Na doutrina Gnóstica, o caminho do Faquir esotérico refere-se ao homem Filósofo, que suporta a dor (do ego), que sabe calar e perdoar, etc.

Fascinação: Do latim Fascinatio, tem sua origem em Fascinus, personagem mitológico romano associado aos encantamentos e feitiços. Na Psicologia Gnóstica a fascinação é o que intensifica a inconsciência do eu com algo pelo qual se identificou, entrando em um estado de fascínio para com o objeto.

Fidelidade vem do Latim Fidelitas, ‘fé, adesão’, de Fidelis, ‘fiel, verdadeiro’.

Filosofia: Do Grego Phylosophya (Φιλοσοφία), ‘Amor à sabedoria’. Vêm de Philos, ‘amigo, o que gosta de‘, e Sophis, ‘sábio’. Filósofo é um amigo do saber.

 

G

Gnosis (Γνωσις): Do Grego, ‘conhecimento’. Refere-se ao conhecimento direto e objetivo de si mesmo.

Ganância do Espanhol Ganancia, ‘lucro, vantagem’, ou seja, querer ganhar vantagem. A cobiça em geral caracteriza-se pelo desejo desenfreado de possuir ou acumular.

Gula: Do Latim Gula, significa literalmente ‘garganta’, o que originou a expressão ‘engolir’. Tem sua origem na palavra Indo-Européia Gwel ‘tragar’. O significado de gula toma a forma de ‘voracidade’. Refere-se ao desejo insaciável de tragar sem medida, relacionado normalmente a comida, mas que está ligada a qualquer outro desejo insaciável.

Gnomos e Pigmeus: Gnomo, do Grego Gnomon ‘o que conhece’ (vêm da mesma raiz da palavra Gnosis), nesse caso, o que conhece os mistérios da terra. Os Gnomi (Gnomos) ou Pigmaei (Pigmeus), foram termos citados por Paracelso para referir-se aos pequenos seres elementais da terra.

Guardião do Umbral: Guardião, do Frâncico Wardon, ‘guardar, cuidar, proteger’. Umbral, no espanhol refere-se ao ‘limiar’ que divide dois ambientes. Na Doutrina Gnóstica, o Guardião do Umbral é a sombra e antítese do Ser, o personagem que se põe à porta da iniciação refletindo a soma dos defeitos psicológicos que levamos.

Genealógica: Do Grego Genea, ‘geração, ascendência’ e Logia ‘estudo’, refere-se a um estudo sobre as origens e disseminação de algo.

 

H

Hidrogênio: Do Grego Hydor, ‘água’, e Genos, ‘nascimento’, significa ‘nascimento da água’, devido a que a combustão de hidrogênio com oxigênio produz umidade. A metafísica Gnóstica explica que todos os elementos são desdobramentos do hidrogênio. A ciência atual explica que é o elemento o mais abundante no universo, e que todos os demais elementos foram formados a partir dele ou em seqüência de outros elementos que o hidrogênio formou.

Homem Equilibrado: Equilíbrio vem do Latim Aequilibrium, formada de Aequi, ‘igual’ e Librare, ‘pesar’, ou seja, ‘pesar igual’. Quando se coloca pesos idênticos em cada prato de uma balança, ela entra em um ponto de equilíbrio, parando de oscilar. Na cultura Gnóstica o caminho do homem equilibrado refere-se ao que realiza a Arte de viver de forma reta e equilibrada, sem pender para os extremos, que é capaz de conciliar o espiritual com o material.

Horus: Nome grego para Heru, o Deus Sol egípcio (Heru-Pa-Kroat). Representado com cabeça de falcão. É a segunda pessoa da trindade, filho de Osíris e Ísis.

Humilde vem de Humilis, literalmente o ‘que está no chão’. Por vezes para se provar a humildade o sujeito tem que ‘tragar terra’.

Humildade: Do Latim Humus, literalmente o ‘filho da terra’. Dessa palavra deriva Homo, ‘Homem’. Humildade é a virtude de ser humano, de ser natural como a terra.

 

I

Identificação: Do Latim Identificare, ‘ação de igualar, fazer igual’. Vêm de Identicus, ‘igual’ e Facere, ’fazer’. Indentificar-se é igualar-se (nivelar) com algo. A Psicologia Gnóstica explica que a identificação do ‘eu’ através dos sentidos leva ao sonho da consciência. O Mestre Lakhsmi recomenda identificar-se com o Ser (no sentido de estar integrado).

Ignorância: Do Latim Ignorare, ‘estado de não saber’. Formada por in-, ‘não’, mais Gnarus, ‘conhecedor’.

Inconsciência: Do Latim Inconscientia, ‘que não é consciente’ ou ‘que não tem percepção do que acontece’.

Iniciação: Do Latim Initiationem, ‘ação de entrar’, de começar algo.

Inveja: Do Latim Invídia, ‘olhar com malícia’, onde In, ‘em’, mais Vedere ‘olhar’, no sentido de reparar o alheio. Caracteriza-se por um sentimento de insatisfação perante o que outro tem.

Involução: Do Latim Involutione, no sentido oposto de ‘desenrolar’ ou de ‘desenvolver’.

Ira: Do Latim Ira ‘fúria, cólera’.

Irascível, do Latim Irascibilis ‘irritar-se, ficar irado’.

 

J

Jesus: O nome original vem do hebraico Yeshua ou Yehoshua ( עוש ), de Yeho, ‘Jeová, Deus’ e Shua, ‘salva’.

Jnana ( ): No Sânscrito, refere-se ao conhecimento direto ou verdadeiro de si mesmo, relacionado à liberação do estado de ilusão. (Pronúncia: Nhãna)

 

K

Karma ( ): Do Sânscrito, significa ‘ação, ato’. É utilizado para referir-se às conseqüências geradas pelas ações. No uso original, a palavra Karma não é utilizada somente para referir-se a consequências negativas, mas para qualquer consequência, seja positiva ou negativa. Exemplo: Na doutrina Gnóstica o Karma mesmo possuindo geralmente a conotação de castigo, também pode ser considerado “uma medicina que se aplica para nosso próprio bem”.

Krishna: ( ): Do Sânscrito, significa ‘azul, escuro’, que é a cor que o representa. Krishna é considerado uma reencarnação de Vishnu, o Cristo Cósmico na cultura Hindu.

 

L

Lascívia: Do Latim Lascivia, ‘desejoso’, vem da raiz indo-européia Las, ‘ansioso’, nesse caso, ansioso por luxúria.

“A Luxúria é quando o desejo transpassa certas barreiras, e a lascívia é aquela que acontece como orgias, como isso que faz a mente quando pensa de uma pessoa, de outra, de outra, de outra…” V.M. Lakhsmi, Jóia 15.

Lei do Karma: Refere-se aos princípios divinos responsáveis pela aplicação dos efeitos gerados pelos atos, ou seja, uma lei de compensação.

Luxúria: Do Latim Luctus, ‘deslocado, fora de lugar’, relacionado também a Luxus, ‘excesso, extravagância’. Refere-se ao uso impróprio da sexualidade. A manifestação de Luxus vai além do sexual, estando em toda forma de extravagância.

 

M

Magia Sexual: Magia vem do Grego Mageia (Μαγεία), que vem de Magos (Μάγοι), nome que se dava aos antigos sacerdotes zoroastrianos da Pérsia, por isso é associada ao sacerdócio e sabedoria. Magia sexual pode se interpretar literalmente como ‘sacerdócio sexual’, já que envolve procedimentos específicos como mantras, regras básicas, etc.

Mahamvantara: Grande Período (Maha-Antara). Refere-se ao termo Sânscrito Mahamanvantara ( ), ‘grande período de Manu’ (Maha-Manu-Antara), que corresponde a um período de atividade do universo, ou Dia Cósmico. É conhecido também pelo termo sânscrito Mahakalpa ( ), ‘Grande Idade, Grande Ciclo de Tempo’.

“Foi-nos dito que um Mahakalpa, Grande Idade, Dia Cósmico, tem um total de 311.040.000.000.000 de anos. É óbvio que um Mahapralaya, Noite Cósmica, equivale a mesma quantidade de tempo” – Samael Aun Weor, Tarot e Kabala.

Mantra ( ): Do Sânscrito Man ‘mente’ e Tra ‘instrumento’, ou seja, ‘instrumento para a mente’ ou ‘instrumento mental’, sendo Man ou Manas um palavra que não se refere somente a mente propriamente dita, mas a todo o conjunto interno de emoções, sentimentos, pensamentos, etc. Os mantras definem-se por combinações fonéticas pronunciadas verbalmente ou mentalmente que produzem efeitos físicos, anímicos, e espirituais.

Medo: Do Latim Metus, refere-se a um estado de inquietação, insegurança, apreensão.

Mente: Do Latim Mens, com origem no Indo-Europeu Men-, ‘pensar’, semelhante ao sânscrito Manas ( ).

Metempsicose: Do Grego Meta, ‘Alem de’, e Psique, ‘alma’, significando ‘continuação ou transmigração da alma’, de um corpo para outro, segundo a filosofia de Pitágoras.

Mitra: No Persa avéstico a palavra significa ‘pacto, contrato’, estando ligado a Mihr, ‘sol’. A palavra existe também no Sânscrito, onde Mitra ( ) é ‘amigo’. Na cultura Persa Mitra é a representação da Luz, chamado de Sol Invencível.

Monge: Do Grego Monakhós, ‘que vive só’. É em geral um indivíduo religioso, de vida retirada e contemplativa, dedicado a oração, devoção, etc. Na cultura gnóstica, o caminho do Monge é do homem Místico, que respeita e contempla a vida, que domina suas emoções…

 

N

Nirvana: Os Céus ou Mundos Deva dos Budistas, são planos de felicidade que existem entre a morte terrena e um novo retorno, acessível para aqueles que possuem méritos. São considerados como estados temporários e ilusórios e não representam a liberação do Samsara. Às vezes está associado a Nirvana ( ), palavra Sânscrita que significa ‘Aniquilação’, referindo-se a um estado de ausência do ego, de paz e felicidade indescritíveis. A liberação final é chamada de Parinirvana. “Vi certamente e com místico assombro a dois adeptos que depois de haver logrado uma plena identificação com Parinirvana, alcançaram a liberação final” – Samael Aun Weor, Meu Regresso ao Tibet.

Nosce te ipsum: Do Latim, significa ‘Conhece a ti mesmo’. É a tradução para o Grego Gnothi seauton (γνῶθι σεαυτό), aforismo que estaria escrito nos pórticos do Oráculo de Delfos na Grécia antiga e também considerado a pedra-angular da filosofia de Sócrates.

Nous (νούς): Deriva do Grego Noesis (Vόησις), ‘compreensão imediata, objetiva’, termo utilizado por Platão para referir-se ao grau máximo de conhecimento próprio dos Filósofos. Tanto Noesis (Vόησις) como Gnosis (Γνωσις) possuem a mesma raiz, estando associado ao conhecimento direto, intuitivo e real. Na doutrina Gnóstica, Nous refere-se ao estado de Consciência Objetiva, ou seja, que está perfeitamente desperta em todos os níveis.

 

O

Ódio: Do Latim Odium, ‘aversão, repugnância, rancor’. Na Psicologia Gnóstica representa a soma de todos os defeitos psicológicos, a antítese do Amor.

Olimpo: O céu na mitologia grega, o Monte Olimpo é a morada dos Doze Deuses principais, representada como uma mansão de cristais.

Ondinas e Nereidas: Ondina vem do Latim Undina, de Unda, ‘onda’, termo citado por Paracelso para referir-se aos seres elementais que povoam a água, e que a doutrina gnóstica complementa pertencerem aos rios e lagos. Nereidas vem do Grego Nereides (Νηρείδες), as ‘filhas de Nereu’, onde Nereu na mitologia Grega é um antigo deus do mar e suas filhas, as Nereidas, eram belas damas representadas divertindo-se nos mares passeando sobre golfinhos, cavalos-marinhos, etc.

Orgulho: Do Frâncico Urguli ‘superioridade, excelência’. Refere-se a um sentimento de superioridade e conceito exagerado que alguém tem de si próprio.

 

P

Paciência: Do Latim Patientia, ligado ao verbo Pati, ‘agüentar, sofrer’, que vêm do Grego Pathe ‘sentimento, paixão’. Aquele que aguenta o sofrimento e tem sentimento de esperança é paciente.

Paz vem do Latim Pax, que deriva de Pactum ‘acordo’, ou seja, a paz existe quando se vive em acordo.

Pecado Capital: Do Latim Peccatum, ‘falta, delito’ e Capital do Latim CapitalIs, ‘relativo à cabeça’, ou seja, literalmente é ‘o delito que comanda’.

Perene: Do Latim Perennis, literalmente ‘por anos’ (per-ennis). O termo é utilizado para referir-se a algo que dura indefinidamente.

Personalidade: Do Latim Persona, de Personare, ‘através do som’, onde Per é ‘através’ e Sonare ‘soar’. Persona era o nome dado as máscaras que os atores usavam nos teatros gregos, onde a voz do personagem ‘soava através’ de sua máscara, fazendo expressar seus desejos, pensamentos, etc.

Pistis (Πίστις), Do Grego, ‘crença, fé’, termo utilizado por Platão para referir-se a condição comum das pessoas que não se questionam sobre a realidade ou causa das coisas que crêem serem verdadeiras. A doutrina Gnóstica associa ao estado comum de Vigília, onde se vive com a consciência absorta em crenças, opiniões, sectarismos, etc.

Pistis Sophia (Πίστις σοφία): Do Grego Pistis, ‘fé’, e Sophia, ‘sabedoria’. Traduzido como ‘a Fé de Sophia’, ‘Sabedoria na Fé’ ou ‘Poder e Sabedoria’, já que na Fé autêntica está o Poder.

Pralaya ( ): Do Sânscrito, ‘dissolução’. Pode ser chamado também de grande Pralaya Mahapralaya ( ), ‘Grande Dissolução’, que equivale a um período de inatividade ou repouso do universo, ou seja, a Noite Cósmica.

“… durante a noite cósmica, durante o Grande Pralaya, quando o Universo que existiu, já não existe” – Samael Aun Weor –A Pedra Filosofal

Segundo a doutrina Gnóstica esses períodos de Atividade e Repouso se sucedem em escalas que vão desde o átomo até o universo inteiro.

Pranayama ( ): Do Sânscrito, significa literalmente ‘Reter a respiração’, onde Prana ( ) é ‘respiração, ar, vida’ e Yama ( ) ‘suspender, cessar, reter’. O termo refere-se a exercícios físico-esotéricos que trabalham essencialmente com a respiração.

Preguiça: Do Latim Pigritia, que se traduz como ‘apatia, falta de disposição’.

Prova: Do Latim Proba, de Probare, ‘testar, demonstrar o valor’, de Probus, ‘correto, de valor, virtuoso’, assim que provar literalmente significa testar o valor, a retidão.

Psicologia (Ψυχολογία): Do Grego, significa ‘estudo da alma’. É a junção de Psykhé (ψυχή) ‘alma’ e Lógos (λόγος), ‘estudo, tratado’.

Pureza do Latim Puritas, de Purus, ‘Puro’, que tem origem no Grego Pyr, ‘fogo’, ou seja, ‘limpo pelo fogo’.

 

Q

Quetzalcoatl: Do Náuatle, Quetzal, uma ave de formosa plumagem, e Cóatl, ‘serpente’, ou seja, ‘Serpente Emplumada’ ou ‘Pássaro Serpente’. Refere-se ao Deus do Vento e Senhor da Luz na cultura Asteca, Maia e Tolteca.

Quintessência: Do Francês antigo Quintessence, ‘a quinta essência’, em geral é utilizado para dizer ‘a última síntese’. Segundo a metafísica Gnóstica, o Raio da Morte converte a pessoa em uma Quintessência, uma síntese do que foi em vida, ou seja, nos valores que seguirão existindo.

  

R

Recordação de si mesmo: Recordação, do Latim Recordari, literalmente significa ‘voltar ao coração’. Formado por Re-, ‘voltar’, mais Cor, de ‘coração’. Na Psicologia Gnóstica Recordação de si mesmo é um estado de consciência onde o indivíduo sente a si mesmo (o Ser).

“Quando alguém se dá o choque da ‘Recordação de Si’, produz realmente uma mudança milagrosa em todo o trabalho do corpo, de modo que as células recebem um alimento diferente” Samael Aun Weor

Recorrência: Do Latim Recurrentia, ‘voltar a ocorrer, repetição’.

Reencarnação: Do Latim, Re, ‘voltar’, Encarnar, ‘tornar-se carne’. Na doutrina gnóstica refere-se a um Ser autorrealizado que volta conscientemente e por decisão própria a tomar corpo físico (reencarnar-se) para cumprir uma missão.

Regeneração: Do Latim Regenerare ‘Voltar a gerar’. Re-, ‘de novo, outra vez’ e Generare, ‘produzir, gerar’.

Religião: Do Latim Religare, ‘voltar a ligar, ligar novamente’, ou simplesmente ‘religar’. Re é ‘voltar’ e Ligare é ‘unir, atar’, referindo-se a um laço forte entre o ser humano e o Divino.

Retorno: Do Latim Retornare ‘voltar a se tornar’. Na doutrina Gnóstica refere-se ao processo involuntário de voltar a um novo corpo físico após a morte.

Revolução Integral: Revolução, do Latim Revolutio, ‘ato de voltar’. Integral, do Latim Integrare, ‘tornar inteiro, fazer um só’. Revolução Integral literalmente significa ‘voltar a ser inteiro’ ou ‘tornar a ser um’.

 

S

Sabedoria: Do Latim Sapere, ‘saber’.

Sahaja Maithuna ( ज ): Do Sânscrito, Sahaja significa literalmente ‘nascidos juntos’ ou ‘gerados ao mesmo tempo’ e também é traduzido como ‘o que é natural, inato, de nascimento’. Maithuna significa ‘formar par com um de cada sexo’, onde em algumas traduções aparece como ‘relação sexual sagrada entre homem e mulher’ ou ‘união em matrimônio’. Ou seja, é uma união sagrada entre homem e mulher com o propósito de gerar a si mesmos, ou seja, nascer de novo.

Salamandras: Do Grego Salamandra. O termo foi utilizado por Paracelso para referir-se aos elementais do Fogo, que segundo ele poderiam ser presenciadas “de diversas formas desde bolas de fogo a línguas de fogo”.

Samsara ( ): Do Sânscrito, literalmente significa ‘fluir sobre’, traduzido também como ‘perambulação, percurso’, corresponde ao fluxo incessante de sofrimentos e retornos involuntários no ‘vale de dor e amarguras’.

Sapiência vem do Latim Sapientia, ‘inteligência’

Semente: Do Latim Sêmen, de Seminis ‘princípio, causa’, ou seja, que a semente é o princípio.

Senda Gnóstica: Senda deriva do Latim Semita, ‘caminho estreito’, formado por Semis, ‘metade’, e Iter ‘caminho, jornada’. Na Senda Gnóstica (o apertado e estreito caminho do conhecimento) se vive a síntese dos quatro caminhos.

Silfos e Sílfides: Silfo vem do Latim ou Francês Sylph, termo que Paracelso utilizou para referir-se aos elementais do ar. Sílfede do francês Sylphide pode ser utilizado como um diminutivo, ou seja, ‘pequeno silfo’. São representados como seres que brincam dando forma às nuvens do céu.

Soberba vem do Latim Superbus, ‘ser superior, sensacional’, quando a pessoa sente-se isso.

Sonho: Do Latim Somnium.

Subconsciência: De Sub, ‘abaixo’ e conscientia, ‘consciência’, ou seja, algo que está em um nível abaixo da consciência, ou algo que mesmo estando acontecendo não se tem conhecimento ou percepção disso, por exemplo, pensamentos, atos, ações ou sentimentos que atuam subconscientemente.

“O subconsciente é uma tela sobre a qual muitos filmes internos são projetados” Samael Aun Weor.

Super-Homem: Super, do Latim Super, ‘acima’. Super-homem é o que está ‘acima do homem’, é o homem que se une às três forças primárias da criação.

Sutra ( ): Do Sânscrito, ‘corda’ ou ‘fio’. Referem-se no budismo, os Sutras, às escrituras canônicas que contém os ensinamentos orais do Buda Gautama (Buda histórico) aos seus discípulos.

 

T

Tantrismo: Do Sânscrito Tantra ( ), onde Tan é ‘expandir’ e Tra, ‘instrumento’, ou seja, ‘instrumento de expansão’, já que se refere a expansão da psique. A palavra Tantra contém também o sentido de ‘tear’, já que envolve a ciência de tecer os corpos internos.

Tártaro: Do Latim Tartarus, ‘o mundo inferior’. É o inferno na mitologia Romana e Grega. Virgílio o descreve na Eneida como um lugar rodeado pelo rio de fogo Flegetonte e cercado por tripla muralha.

Temperança: Do Latim temperantia, ‘moderação’, que vem do verbo temperare, ‘ser moderado’. Deriva do Latim Tempus, ‘tempo’, no sentido de que temperar é aguardar o momento adequado, por exemplo, para alimentar-se.

Torá ( ): Do Hebraico, significa ‘instrução, apontamento, lei’. Refere-se ao livro que contém as leis de Moisés, e corresponde ao Antigo Testamento na Bíblia Cristã.

Transformação: Do Latim Transformare, ‘mudar de forma‘.

Transmutação: Do Latim Transmutationem, de Mutare ‘mudar’, refere-se a ‘mudar para outra natureza, substância ou condição’.

 

V

Vaidade vem do Latim Vanitas, de Vanus, ‘vazio’ ou ‘vão’, ou seja, a pessoa vaidosa tenta tapar seu vazio com uma imagem falsa de si mesmo.

Violência, do latim Violentia, ‘impetuosidade’, relacionada à Violare, ‘tratar com brutalidade, desonrar, ultrajar’ onde Violentus é quem ‘age pela brutalidade’.

Virtude: Do Latim Virtute, ‘ato valoroso’, de Virtus, ‘valor’, que vem da raiz Vir, ‘virilidade’.

Vishnu significa ‘aquele que penetra em tudo’, ou seja, que permeia e está presente em todas as coisas.

Vontade: Vontade, do Latim Voluntas, de Volere ‘querer, anelar’. No Grego Helênico é Thelema (θέλημα).

 

Y

Yogue: Do Sânscrito Yogin ( ), de Yoga, ‘união, integração’. É em geral um indivíduo que se dedica a integração com a divindade através de práticas espirituais como exercícios físico-esotéricos, concentração, meditação e uso de mantras, com a meta de alcançar o Êxtase ou Samadhi ( ). Na cultura Gnóstica o caminho do Yogue é o do homem prático, de Ciência, que busca experimentar as realidades interiores através do domínio da mente e das técnicas do despertar da consciência.

 

Z

Zhi (智): No Chinês, refere-se a ‘conhecimento’ ou ‘sabedoria’, diferente de Xué (学) que é ‘erudição’ ou ‘acumulação de conhecimentos’. (Pronúncia: Djí)

 Zoosperma: O mesmo que Espermatozóide. Vem do Grego Sperma, ‘semente’, mais Zoon, ‘animal’, ou seja, ‘semente animal’.

Deixe uma resposta

*