Artigos

Os Tattwas e os Hormônios

Os Tattwas e os Hormônios

Os Tattwas e os Hormônios

Existe o éter em estado ígneo (Tejas).
Existe o éter em estado gasoso ou fluídico, como princípio do ar (Vayú).
Existe o éter em estado aquoso como princípio da água (Apas).
Existe o éter em estado pétreo, como princípio mineral (Pritvi).

Estes são os tattwas dos hindustãos.

Quando esses tattwas cristalizam ou se condensam, advêm os elementos físicos: fogo, ar, água e terra.

Nosso corpo etérico está formado de tattwas.

Tatwas. Como usar as vibrações cósmicas a nosso favor?

Os tattwas e os chacras estão intimamente relacionados.

Os tattwas penetram nos chacras e logo passam ao interior das glândulas de secreção interna.

Dentro das glândulas os tattwas intensificam o trabalho desses minúsculos laboratórios endócrinos, transformando−se em hormônios.

Os tattwas entram no organismo, porém não saem mais dele. Os tattwas se transformam também em genes e cromossomos que mais tarde se transformam em espermatozoide.
“Tudo sai do éter, tudo volta ao éter.”

 

O Éter

O éter é a condensação de uma substância chamada Akasha. Essa substância é a primeira radiação da raiz Mulaprakriti, ou matéria primordial insípida e indiferenciada, conhecida entre os alquimistas como Ens Seminis (a entidade do sêmen).

Akasha é a radiação ígnea da matéria primordial.

Akasha está contido no sêmen. Os Alquimistas dizem que a água é o habitáculo do fogo.

Akasha é a Kundalini dos hindustanis.

A Matéria Primordial está representada pelas águas de todos os Gênesis religiosos.

O protoplasma de toda a Nebulosa em princípio foi etérico. Se vamos mais adiante, temos de aceitar que por trás de todo efeito existe uma causa O Éter mesmo tem de ter uma causa.

Aprendemos dos yogues do Hindustão que por trás do Éter está o Akasha. Dizem os sábios orientais que o Akasha é um mar de fogo. Dito fogo superastral está contido no Ens Seminis (a Mulaprakriti dos sábios da Índia).

O Ens Seminis são os átomos−sementes de toda a matéria conhecida. Akasha é som primordial. Akasha é fogo superastral. O som condensa por meditação no Akasha. A Serpente da Kundalini é fogo e som.

Ninguém poderia encarnar o verbo, sem levantar a serpente sagrada. Sem Akasha impossível concretizar e cristalizar o som.

Os Vayús Pranas são ondas sonoras do Akasha. Essas ondas sonoras escondem−se nos Tattwas do Éter. Os Tattwas cristalizam−se nos quatro elementos da Natureza: Fogo, água, ar e terra.

Concluindo, o mundo físico−químico é um resultado da materialização do som. O mundo físico−químico é som condensado.

Não aceitamos um Deus antropomórfico e dogmático, porém cientificamente aceitamos o som como Causa Causarum do Universo. Tem de existir também uma causa para os sons pré−cósmicos. Os grandes sábios orientais nos falam do Logos Solar.

O dr. Krumm−Heller dizia que o Logos vibra. Certamente o Logos é Unidade Múltipla Perfeita. O Logos é o Exército da Palavra.

O Logos é o Verbo. “No princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o verbo era Deus… Este era no princípio com Deus. Todas as coisas por Ele foram feitas e sem Ele nada do que está feito se fez. Nele estava a vida e a vida era a luz dos homens. E a luz nas trevas resplandece, mas as trevas não a conheceram.”

O Logos não é um indivíduo. O Logos é um exército de Seres Inefáveis.

Deixe uma resposta

*