Artigos

Por que alteramos as Representações Mentais?

Continuando sua cátedra sobre as Representações da Mente, o V.M. Samael esclarece o porquê de alterarmos tais elementos em nossa psique e, com sua psicologia implacável contra o Ego e contra tudo aquilo que nos distancia do Real Ser, ele ensina preciosas chaves para vencermos esses inimigos tão terríveis que criamos e carregamos dentro de nós.

 

Leia aqui: Os graves danos das Representações Mentais.

 

 

“Temos a Representação de um grande amigo que sempre nos serviu (bondoso, caritativo, maravilhoso); de pronto, alguém emocionado, cheio de impressões negativas vem falar contra nosso amigo e abrimos as portas a essas impressões negativas.

Está murmurando, dizendo que nosso amigo é ladrão, bandido, assaltante de banco, 50 mil coisas.

Porém, a representação que temos na Mente, com essas impressões negativas, se altera.

Dentro de nossa Mente, tal Representação alterada, se converte em um verdadeiro demônio que obstaculiza o trabalho sobre nós mesmos. Por tudo isso – e muitas outras coisas – veremos que LIMPAR O TEMPLO DA MENTE é muito difícil, mas não impossível.

 

 

Necessitamos ter uma Mente clara, um Templo limpo, sem sujeiras, sem abominações de nenhuma espécie. Porém, temos que saber viver, é necessário saber viver.

 

Na vida prática, desgraçadamente, as pessoas não sabem viver, todos colocam a culpa de seus sofrimentos, de suas amarguras nos demais e, os únicos que verdadeiramente temos a culpa, somos nós mesmos”.

 

Suponhamos que alguém roube dinheiro de vocês, sofreriam terrivelmente por isso, certo? Mas, por que sofrer assim por dinheiro? Se não tivermos apegos às coisas, tampouco ao dinheiro, não sofreríamos.

Suponhamos que um homem encontra sua mulher com outro homem, não há dúvidas de que, tomado pela dor, pode sacar a pistola e atirar nos dois. Para quê isso? Ante as autoridades se justificaria dizendo que a esposa cometeu adultério. Mas isso é uma completa loucura, pois se esse homem não tem o eu do ciúme dentro, se não tem eu do apego e nem do ciúme, não há quem sofra.

 

Suponhamos que um insultador nos insulta, fere nosso amor próprio. Sofremos horrivelmente e respondemos ao insulto com insulto, porém se não há ninguém aqui dentro que se fira, quem responde?

 

 

Muitas vezes alguém sofre porque vê a um amigo que tem que tem uma linda casa e uma bela esposa, e ele está sem um centavo no bolso. Isso se chama inveja. Mas, se não tem o eu da inveja, por que sofreria? Ao contrário, se alegraria pelo amigo.

 

 

DE MANEIRA QUE OS DEMAIS NÃO PODEM NOS CAUSAR DOR, A DOR NÓS CAUSAMOS A NÓS MESMOS. ESSA É A CRUA REALIDADE DOS FATOS.

 

Desintegrando o Ego termina a dor. A raiz de toda dor está no Ego e quando o Ego termina somente fica em nós a BELEZA DO SER e essa BELEZA se transforma em isso que se chama AMOR e FELICIDADE.

 

 

Então, ao chegar a essas alturas a Mente está quieta, em silêncio e já não é uma Mente que projeta, já não é uma Mente que se ofende, já não reage por nada, recebe as mensagens que vem das partes superiores do Ser. É uma Mente cheia de plenitude.

 

Mas repito: não somente os agregados psíquicos tem que eliminá-los, claro está, também há que ELIMINAR AS REPRESENTAÇÕES da Mente, tanto as positivas quanto as negativas.

 

Necessitamos limpar o TEMPLO DA MENTE de todo esse lixo; necessitamos que a lâmpada arda dentro do TEMPLO DA MENTE, necessitamos que a CHAMA DE OURO possa arder com luz serena dentro do âmbito do TEMPLO. Quando a Mente está quieta, quando a Mente está em silêncio, advém o novo…

Desintegrando os agregados inumanos que carregamos em nosso interior, os problemas e as dificuldades acabam.

Assim, pois, o que necessitamos hoje por hoje é DEIXAR A PREGUIÇA MENTAL e trabalhar muito duro sobre nós mesmos.

Deixe uma resposta

*