Artigos

Estudo dos Arcanos do Tarot – Arcano 3: A Imperatriz

Simone MerinoRecordem que o Sepher Ietzirah descreve de maneira maravilhosa todos os esplendores do mundo e o jogo extraordinário dos sefirotes pelas 32 sendas da sabedoria em Deus e no homem. No mistério do sexo, oculta-se toda a ciência dos sefirotes.

A alma tem três aspectos:
1) Nephes, a alma animal.
2) Ruach, a alma pensante.
3) Meshamah, a alma espiritual.

O substractum destes três aspectos da alma são os sefirotes, que são atômicos. O Zohar insiste nos três elementos-princípios que compõem o mundo e que são:
Fogo (schim).
Água (men).
Ar (aleph).
Estes são os elementos-princípios, a síntese perfeita dos quatro elementos manifestados.
O poderoso mantram I.A.O. resume o poder mágico do triângulo de elementos-princípios:
I (ignis) – fogo.
A (aqua) – água.
O (origo) – princípio.
I… A… O… é o mantram supremo do Arcano A.Z.F.

Quem quiser fazer subir pelo canal medular a alma do mundo, deve trabalhar com o enxofre (fogo), com o mercúrio (água) e com o sal (terra filosófica). Somente assim, se nasce em Espírito e Verdade.

No Arcano A.Z.F., acham-se as doze chaves secretas do beneditino de Erfurt, Basílio Valentim. No manuscrito do Azoth de Valentim, está encerrado todo o segredo da Grande Obra. O Azoth é o princípio criador sexual na Natureza. Quando a rosa do Espírito floresce na cruz de nosso corpo, a Grande Obra se realizou.

Os três elementos-princípios manifestam-se nos quatro elementos da natureza. Existe o calor do fogo e do ar, a umidade do ar e da água e a sequidão do fogo e da terra.
Estes são os três elementos-princípios, o I.A.O. Eles são o enxofre, o mercúrio e o sal contidos nos quatro elementos da natureza.

Nos três elementos-princípios, acham-se os paraísos elementais da natureza.
O cabalista-alquimista precisa aprender a usar o enxofre, o mercúrio e o sal. Fazendo uso de flor-de-enxofre no calçado, dentro, se desintegram as larvas do corpo astral: íncubos, súcubos, dragões, basiliscos, fantasmas… Os vapores invisíveis que se originam do enxofre levantam-se desintegrando essas larvas. Queimando-se enxofre em carvão em brasa, desintegram-se as formas malignas do pensamento e as larvas encerradas dentro de qualquer habitação.

O azougue (mercúrio) serve para preparar a água lustral. O grande astrônomo Nostradamus passava noites inteiras diante de um recipiente de cobre com água. Este grande vidente olhava as águas e nelas via os acontecimentos futuros, que deixou escritos em suas famosas profecias.
Se a essa água acrescenta-se mercúrio e se, no fundo do recipiente, coloca-se um espelho, ter-se-á um clariteleidoscópio maravilhoso. Aconselhamos usar qualquer recipiente de cobre, com exceção de caçarolas, tachos ou caldeirões de cobre.

O caldeirão de cobre é um símbolo da magia negra.
O cobre está intimamente relacionado com a glândula pituitária e possui poder para despertar a clarividência.
O sal também tem numerosos usos na magia branca. O sal deve ser combinado com o álcool.
Colocando-se em um recipiente álcool e sal e pondo-se fogo logo após, obtém-se uma combinação maravilhosa, a qual, no entanto, deve ser utilizada apenas para invocar os Deuses da Medicina, quando se precisa curar algum enfermo. Então, eles acudirão ao chamado.
O enxofre (fogo) arde totalmente e não deixa resíduos. O enxofre é o schin e a água é o men do Zohar. O Ens Seminis, o fogo e a água, mediante sucessivas transmutações fica reduzido ao Aleph da cabala, que os alquimistas denominam Alkaest. Assim, realiza-se o I.A.O. e assim abrem-se as doze faculdades da alma.

A alma se cristifica. O Kundalini floresce, em nossos lábios fecundos, feito Verbo. O ternário é a palavra, a plenitude, a fecundidade, a natureza e a geração dos três mundos.

O Arcano III da cabala é uma mulher vestida de sol, tem a lua a seus pés e está coroada com doze estrelas. O símbolo da Rainha do Céu é a Imperatriz do Tarot. Uma misteriosa mulher coroada, sentada e com o cetro de mando, em cujo extremo aparece o globo do mundo. Eis a Urânia-Vênus dos gregos, eis a alma cristificada.

O homem é o Arcano I do Tarot. A mulher é o Arcano II do mesmo. A alma cristificada é o resultado da união sexual de ambos. O segredo está no Arcano A.Z.F. A mulher é a mãe do Verbo. O Cristo é sempre filho de Imaculadas Concepções. Impossível nascer sem mãe.

Quando um Iniciado está para encarnar o Verbo, sua mulher aparece nos mundos superiores como se estivesse prenhada e sofrendo as dores do parto. Jesus, na cruz, disse à sua mãe: “Mulher, eis aí o teu filho”. Dirigindo-se a João, diz ao discípulo: “Eis aí tua mãe”. Desde aquela hora, o discípulo a recebeu consigo. A palavra João (Juan) decompõe-se assim: I.E.O.U.A.M., o Verbo, o Dragão de Sabedoria. Ela é, realmente, a mãe do Verbo. A mulher oficia no altar da bendita deusa Mãe do Mundo.

Agora, orem muito à Divina Mãe Kundalini, cuja venerável sacerdotisa é vossa mulher. Orem e meditem assim:

INVOCAÇÃO

“Ó Isis, mãe do cosmos, raiz do amor, tronco e botão, folha, flor e semente de tudo quanto existe. A ti, força naturalizante, te conjuramos, chamamos a Rainha do Espaço e da Noite, e beijando teus olhos amorosos, bebendo o orvalho de teus lábios, respirando o doce aroma de teu corpo, exclamamos: salve Nuit, eterna Seidade do céu, tu que és a alma primordial, que és o que foi e o que será, a quem nenhum mortal levantou o véu, quando estás sob as estrelas irradiantes do noturno e profundo céu do deserto, com pureza de coração e na chama da serpente, te chamamos”.
Orem e meditem intensamente. A Divina Mãe ensina a seus filhos. Esta oração deve ser feita combinando a meditação com o sono. Então, como uma visão de sonhos, surge a iluminação.
A Divina Mãe chega ao devoto para instrui-lo nos grandes mistérios.

Curso Esotérico de Cabala- Samael Aun Weor

Deixe uma resposta

*