fbpx

Artigos

Meditar: um caminho para a luz

Meditar: um caminho para a luz

Meditar: um caminho para a luz

 

O que é meditação? Qual a sua utilidade? Por que queremos aprender tal prática? O que buscamos com ela? Onde queremos chegar quando meditamos? Que estado de consciência almejamos ao meditar?

 

Fechemos os olhos e reflitamos sobre cada pergunta. No belo livro Rosa Ígnea, de Samael Aun Weor, o mestre é claro sobre o autodomínio e sobre como a meditação nos ajuda nesse processo.

“Há que se adquirir um completo controle de si mesmo”, conclui.

 

Meditar é não pensar. É deixar o intelecto de lado e buscar o silêncio. Neste silêncio encontramos com a nossa alma, nos unimos com o nosso Ser interno, nos encontramos com o que realmente somos, sem conceitos, sem distorções e distrações da mente.

A mente, a personalidade, nos faz ter uma percepção distorcida, e é aí que nos enganamos, pensando ser a ilusão, a própria realidade, fazendo-nos vítimas de sistemas que se transformam em um véu que nos distanciam cada vez mais da realidade tal como ela é.

O intelecto inferior, nos faz ver o mundo e a nós mesmos da forma que não somos em verdade. Pensamos muitas coisas sobre nós mesmos, muitas vezes nos achamos melhores ou piores, sábios ou ignorantes. Caímos sempre num eterno dualismo, onde a tese e a antítese sempre entram em combate uma com a outra.

A meditação é uma maneira de transcender esse estado de dualismo da mente, de fazer-nos experimentar o Samadhi, um estado de consciência que nos permite sentir o real e intuir a verdade por trás de cada mistério.

A meditação nos trás inúmeros benefícios. Nos traz a sensação de completude, de união com Deus, de paz interior, de felicidade, como enfatiza o Venerável Mestre Samael Aun Weor na mesma obra citada anteriormente:

“A meditação é a disciplina esotérica dos gnósticos”.

A meditação também nos possibilita a melhor compreensão de tudo à nossa volta. Mais uma vez, este Mestre nos guia com sua sabedoria sobre o tema:

 

“Um mestre do Samadhi entra em todos os planos de consciência. Com o Olho de Dagma, ele esquadrinha todos os segredos da Sabedoria do fogo”.

 

Além disso, meditar ajuda-nos a desenvolver uma sensibilidade maior com relação a vida, deixando nosso coração mais sensível e nos torna mais intuitivos. Passamos a ter sonhos mais claros e lúcidos, assim como com um maior controle sobre nossos estados mental e emocional.

Somente com a prática diária e incansável, dia após dia podemos comprovar os benefícios da meditação. Ficar no campo das teorias, ler inúmeros livros sobre meditar não nos levará a lugar algum. Teremos apenas informação. O que nos leva a efetivas comprovações em nosso corpo e mente é a PRÁTICA.

Mas como Meditar?

A Meditação é um “estado de consciência”. Para atingí-lo podemos servir-nos de diversas técnicas ou práticas, algumas com a ajuda de mantras ou músicas, porém toda técnica de meditação se resume em 4 estágios fundamentais, os quais devemos atingir para obter o êxito nesta ciência. São eles:

Asana

Postura do corpo físico. Existem distintas posturas para o exercício da meditação, tais como, por exemplo: posição de estrela de cinco pontas (ditado com os braços e pernas abertas), posição do homem morto (deitado em decúbito dorsal com os calcanhares juntos e as mãos ao longo do corpo ou sobre a cintura), postura de loto (sentado com as pernas cruzadas uma sobre a outra), de semi-loto (sentado com as pernas cruzadas), de siddhasana ou postura perfeita (que consiste em fechar em um círculo magnético o polegar com o índice, apoiando o dorso da mão sobre o joelho); de Vajrasana ou postura diamantina (tal e como se sentam os incas e os japoneses, com as mãos apoiadas no sobre as coxas e com o tronco do corpo descansando sobre os calcanhares), ou a mais simples para nós ocidentais, a egípcia (sentada em uma cadeira ou poltrona confortável, formando ângulos retos de 90º nos joelhos e cotovelos, e as mãos descansando sobre as pernas) etc.

O importante, indiferentemente de qualquer “Asana” ou postura que se adote, é manter a coluna vertebral reta.

 

Pratyara

Mente em branco. Abstração dos sentidos. Subtrair a mente dos sentidos para dar passagem a Consciência. Manter a atenção fixa em um ponto, como por exemplo no coração, ou simplesmente sentir-nos neste instante, aqui e agora e observar serenamente os pensamentos que passam pela mente, sem identificar-nos com eles (não deixar que nenhum pensamento leve nossa atenção com ele) deixá-los passar como pássaros no céu enquanto nós permanecemos com a atenção fixa no mesmo ponto. (sugestão: imaginar-se, sentir-se como uma grande rocha ou montanha, fixo, imóvel, imutável, eterno, enquanto os pensamentos que são como os pássaros, o vento, o tempo, as idades, passam, mas nós sempre permanecemos ali, imóveis.) Assim a mente vai se relaxando e os pensamentos vão se esgotando pouco a pouco e vamos percebendo a impermanência e a natureza dual dos pensamentos e logo  transcendendo essa luta dos opostos.

Dharana

Concentração, o que significa fixar a mente em um só ponto ou coisa, seja por exemplo nas batidas do coração, na respiração, em um mantra, em uma música, em alguma parte do corpo (as mais indicadas pelos resultados muito rápidos são o coração e a pineal, no alto e centro da cabeça)

 

Dyana

Meditação, o que significa refletir sobre o conteúdo substancial da própria coisa na qual se está concentrando. Reflexão é o uso da “consciência” ou “atenção” como capacidade cognitiva, e não do “raciocínio” como estamos acostumados. Portanto, para que essa reflexão seja perfeita, deve ocorrer na ausência do pensamento (por isso as etapas anteriores.) Meditação é um “Estado de Consciência”, um “Estado” de “Mente Passiva” e “Consciência” ou “Atenção” “Ativa”. Nesse estado a Consciência tem a capacidade de conhecer ou apreender em qualquer direção.

 

Samadhi

É o êxtase ou arroubamento. Um estado profundo da Meditação. Em tal estado a Essência escapa do Ego momentaneamente e a Consciência se dissolve como uma gota entre o Grande Oceano da Vida Livre e sente-se una com o objeto da concentração, ou em níveis mais profundos (porque há níveis e níveis de Samadhi) com o próprio Universo e o Criador.

 

Saiba mais sobre a Meditação:

Meditação Interna

Rodrigo O. Caldeira

11 de abril de 2019

5 respostas para "Meditar: um caminho para a luz"

  1. arlindo Enviado em 04/14/2019 às 14:34

    Boa tarde, buscar o relaxamento do corpo fisico, relaxar os músculos , tirar toda a tensão do corpo é de suma importancia , antes de buscar acalmar a mente e se concentrar num ponto.

  2. Evelyn Mello Enviado em 04/20/2019 às 16:15

    Agradeço pelo ótimo conteúdo.

  3. Pedro Alvez Enviado em 07/07/2019 às 23:59

    Muito importante o texto, gratidão.

    • Cristiano Vieira Enviado em 07/08/2019 às 22:02

      Muito Obrigado por conhecer os ensinamentos gnósticos.

      se tiver mais interesse, veja os nossos artigos! ok

      att, Equipe Gnosis Brasil

  4. Adriana Gonçalves Enviado em 10/08/2019 às 17:47

    Boa tarde,

    Grata ao universo que me trouxe exatamente onde eu gostaria de chegar para adquirir mais conhecimento sobre as leis universais na incessante busca pelo autoconhecimento.

    Muito obrigada pelo artigo, hoje foi meu primeiro acesso dentre muitos que virão!!

Deixe uma resposta

*