Artigos

A mulher e a saúde

A mulher e a saúde

A mulher tem um organismo forte e mesmo assim vulnerável a muitos males e enfermidades que podem trazer muitos danos.

A mulher tem órgãos que deve conhecer e aprender a manejar corretamente. Por exemplo: o fígado, que recebe e processa diversas impressões da vida diária, se não tivermos comportamento correto frente aos diversos eventos da vida indiscutivelmente sofreremos do fígado e das vias digestivas. Sabemos que a mulher tem um funcionamento hormonal, que determina os períodos menstruais e, se a mulher não tiver certos cuidados, pode sofrer de enfermidades graves.

Nos dias em que a mulher estiver menstruada deve evitar esfriamentos bruscos, banhar-se com água fria, pois isso faz com que sua matriz e seus ovários se contraiam evitando a evacuação de todo fluxo menstrual, isso pode gerar a formação de coágulos e mais tarde fibromas.

A mulher deve evitar a proliferação de gases, as flatulências, que depois de produzidos são reabastecidos pelo organismo e chegam até o cérebro causando vários danos, como perda de memória, alterações nervosas e insônias.
A mulher deve cultivar o máximo de alegria, como expressão da vida, para evitar o envelhecimento prematuro, enfermar-se do sistema nervoso e adquirir enfermidades endócrinas. A mulher deve manter o perfeito asseio pessoal e higiene mental, deve ser amante de caminhar e de fazer exercícios suaves e rítmicos para manter o sistema circulatório apto, evitar as más leituras, os programas insanos da televisão, recorrendo a tudo que tenha para ver a alegria de viver e da natureza.

Ela deve aprender a curar a si e ao próximo, deve ter consciência de que precisa ter um corpo são para atender às exigências da Obra que precisa realizar. Isso não diz respeito apenas a parte física, mas também mental e emocional para conseguir a saúde de maneira equilibrada.

A saúde mental conseguimos com boas leituras, meditação, oração, construtiva conversação, inspiração… se praticamos em nosso diário viver estes aspectos nos daremos conta de que vamos conseguindo uma higiene mental que fortifica nossa parte física e também a espiritual. A saúde da parte emocional se consegue com a prática da transformação das impressões para ir conseguindo que nossas emoções, sejam agradáveis ou desagradáveis, não danifiquem a harmonia de nossa anatomia física, conservando-a sã e apta para o trabalho.

A saúde física tem a ver com nossa alimentação, limpeza, medicina que necessitamos para dar ao corpo a energia e a vitalidade. Quanto a alimentação se deve saber selecionar os alimentos e fazer as combinações adequadas. Existem três tipos de alimentos: rayasicos, tamasicos e satwicos. No campo da alimentação faz-se importante termos a boa ubiquação no momento de ingerirmos os alimentos. Não podemos esquecer que um alimento pode ser muito bom, mas se tivermos uma descarga emocional no momento em que ingerimos podemos transformá-lo em ruim, ocasionando desarmonia em nosso corpo.

Observamos que, se levarmos a sério a organização da alimentação, o corpo vai necessitar de menos medicina para curar-se de qualquer enfermidade que se apresente. Desafortunadamente, quando temos um problema de saúde, acreditamos que vamos conseguir a cura só com medicamentos. Os medicamentos curam os efeitos, mas as causas só se curam com uma boa limpeza a nível orgânico e uma alimentação equilibrada.

Devemos cuidar do nosso sistema nervoso. Melhoremos nossa saúde com equilíbrio do que pensamos, nossa alimentação e nossas emoções. Recordemos: somos o que pensamos, sentimos e comemos.

Deixe uma resposta

*