Artigos

Astrologia Esotérica – Interpretação da Obra de Johfra – Libra

ASTROLOGIA ESOTÉRICA – LIBRA

Libra, o sétimo signo zodiacal, assim como a cruz e a espada flamejante, está relacionado com o número 7.
A Pedra Fundamental Viva, ou pedra cúbica de JESOD, é protegida por duas esfinges, enquanto que dela emerge vitoriosa a rosa ígnea do Iniciado Rosacruz, cujo símbolo serve de eixo e de balança aos pratos custodiados pelo deus ÍBIS DE TOTH e pela deusa HATHOR, a que conserva as orelhas de LEOA.
Todo o conteúdo é feito para deleitar a Sabedoria dos Veneráveis Mestres Maçons, pois isto é um canto de gloria ao Grande Arquiteto do Universo.
Acima, o Sol e a Lua da Alquimia Sexual se entrelaçam num conúbio maravilhoso, graças ao enlace do Santo Oito, criador e destruidor.
A balança com a ROSA-CRUZ iniciática, indicando o caminho do Ascenso, emerge dentre as mãos do MORTO (em si mesmo) que se apresenta em juízo; é um morto que se “desintegrou” de tal maneira na aniquilação budista que se transforma em um único torvelinho tântrico, com as duas cores alquímicas, repetidas nas serpentes AZUL e VERMELHA.
A balança tem, em um de seus pratos, uma PLUMA, pois esta deve ser o peso de nossas culpas, no outro está o CORAÇÃO do “defunto”, que está dentro de um pote hermeticamente fechado; este é guardado pela deusa HATHOR, a qual era a mesma TEFNET, que vivia sob a forma de uma LEOA, no deserto da NÚBIA, despedaçando tudo o que viesse a seu alcance (aniquilação budista). Seu Pai, o deus RÁ (o Íntimo), perseguido por seus inimigos (as entidades egóicas, demônios vermelhos de SETH), desejou que sua filha o acudisse. Para tanto, enviou para ir buscá-la o seu Irmão SU e o mágico deus TOTH, metamorfoseados em MONOS (macacos), os quais se lançaram em busca de TEFNET. Uma vez encontrada, rogaram-lhe que os acompanhasse. Atravessando o Santuário de Filé, ela se banhou em Águas Sagradas (a neblina radiante da Energia Sexual Transmutada); foi aqui que a terrível e espantosa leoa (a dura lei do Karma) se transformou na bela deusa que acompanha a “balança”. Logo após sua transformação, caminhou pelo Nilo com sua BARCA SAGRADA (os veículos solares) e em meio a aclamações populares, foi a DENDERAH, donde foi adorada sob a forma benfeitora de Hathor.
Sobre si, usa uma veste amarela (solar); em sua mão carrega o SISTRO, um instrumento musical de Cobre, feito para afastar as más influencias; em sua cabeça está o SOL, sobre seus cornos (atributos); cinge-lhe na cintura o cinturão vermelho da castidade.
Pelo outro lado, junto ao prato em que se encontra a pluma, acha-se o deus ÍBIS de TOTH, o encarregado de dar contas sobre o estado interno do morto. Este porta a cruz TAU, emblema do Grande Arcano A.Z.F., enquanto que as duas serpentes (Ida e Pingala) ascendem vitoriosas sobre seu corpo, indicando que todo ele é o Caduceu de Mercúrio.
Abaixo, no umbral da lâmina, um lírio mostra a necessidade da pureza para levar a cabo a Grande Obra; o piso, como em todos os Templos Gnósticos, é uma continuidade alternada de ladrilhos brancos e pretos (a luz e as trevas, Lúcifer e Luzbel).
Os quatro animais que vimos no signo imediatamente anterior, representantes da Alquimia Sexual, unificam-se maravilhosamente na Esfinge, que aqui é masculina e feminina, pois a Natureza, e seu Criador, é dual (masculino e feminino, mais a fusão dos dois). Uma extensão sobre o significado esotérico relatado os encontrará o investigador no capítulo seguinte, que trata sobre SERKET, deusa do signo de Escorpião (que é o oposto complementar de Touro, e que pode ser visto nas ancas e patas traseiras das duas esfinges).
Os quatro braços da rosa-cruz são a mostra do ritmo tetráctico (de quatro pares), celebrado pelos sábios egípcios, ajustados às celebrações máximas dos Mistérios: os Solstícios e os Equinócios, formando assim a Cruz Cardeal do Zodíaco.
Todos estes símbolos estão sintetizados no DJED, adorado em JEDU, de que falam os rituais dos gnósticos. O Djed é um símbolo importantíssimo para o antigo Egito, no qual se combinam a Cruz e a base quadrilonga (semiquadrada).
O LIVRO DOS MORTOS (ou A SAÍDA À LUZ DO DIA) dos egípcios diz que em seu sexagésimo capítulo: “Oh, tu, grande alma, poderosa e cheia de vigor, vem cá. Chego e te contemplo. Atravessei os portais do mais-além para contemplar a Osíris, meu divino Pai. Agora disperso as brumas que te envolvem, porque te amo, Osíris, e venho contemplar tua face. Atravessei o coração de Seth, e cumpri com todos os rituais fúnebres por Osíris, meu Pai. Tenho abertos todos os caminhos no céu e na terra: porque, Osíris, sou teu filho que te ama. Tenho me convertido em um espírito puro e santificado, e as palavras de Poder me escutam!
Deuses do vasto céu! Espíritos Divinos! Tenho chegado ao fim de minha viagem; aqui me tereis perante vós!”.
Libra, por excelência, é o signo do equilíbrio, seja no Cosmos, seja na psique, representa tanto a Justiça entre as leis dos homens, como a legalidade no mundo interior. É o equilíbrio que existe nos planetas e nas moléculas, nos sistemas solares e atômicos; a balança que equilibra os planetas com os seus sóis; entre os mundos externos e os mundos internos (ou psicológicos); um dos pratos sustenta o mundo dos desejos, e o outro, o da sublimação, paixão e amor. De acordo com os astrólogos, Libra rege os RINS, que guardam o equilíbrio do organismo.
A balança é símbolo da harmonia interior e da comunicação entre o consciente e o inconsciente.
O metal que dá a boa sorte ao libriano é o COBRE, e seu Encarregado é o anjo URIEL; é a ele, pois, que deve dirigir-se o nativo para pedir ajuda na aniquilação de seus defeitos, enquanto que com a Imaginação, experimenta uma envoltura de uma áurea verde.

DEFEITOS
(entre eles, citamos):
Ardentes ao extremo, porém durável somente por pouco tempo; caprichosos; melancólicos, morosos, mutáveis e impulsivos. Passam rapidamente da alegria à melancolia.

LIBRA E O AMOR
VÊNUS em Libra é o mais amoroso e espiritual; eleva-se em muito sobre a sensualidade de Touro, outro venusiano. Aqui, seu planeta lhe dá graça, beleza e magnetismo especiais. Muito atrativos para o sexo oposto, necessitam sempre de amor, pelo qual se tornam muito graciosos, magnéticos e lisonjeiros.
Porém, às vezes, a balança se desequilibra com flertes que podem chegar verdadeiramente à infidelidade, mesmo que no zodíaco seja o mais exigente no equilíbrio da Lei; podem defender a capa e espada seu lar.
Os librianos vivem em função do amor. São sentimentais e sonhadores, fanáticos pelo legal e equilibrador, não admitem de maneira alguma que se desvie desses cânones.

O HOMEM DE LIBRA
Sendo o amor o elemento mais importante na vida de Libra, indispensavelmente sua mulher será o centro de toda sua atenção, sobre o qual tudo girará, mesmo que a sensualidade de Vênus o induza a uns quantos deslizes, regressará sempre ao seu verdadeiro lar. Gosta de dar e receber elogios e atenções, coisa que jamais lhe passa desapercebido.
A balança baixa e sobe alternada e indiscriminadamente seus pratos, razão pela qual é muito difícil compreendê-lo, especialmente quando se deixa tocar por Saturno, que incide sobre eles facilmente, fazendo-os entrar em profundos estados de depressão.
O carinho, as distrações e a alegria lhe farão sair dessas caídas, pois Libra é encantador e sociável por natureza, e por isso gosta de conviver com as demais pessoas.
Vênus lhe dá sempre sentido artístico, mais como expectador que como ator, e ao contrário de Touro, é bom ouvinte e crítico de música. A estética, a ordem e a harmonia lhe faz feliz.

A MULHER DE LIBRA
Sedutora, formosa e encantadora, envolve facilmente a seu companheiro nas “malhas” do matrimonio. Naturalmente se mostrará encantada de ser o centro das atenções de seu homem, de ser mimada e adorada, e dará tudo que estiver a seu alcance; usará toda a magia de seu encanto (dado por Vênus), para reter seu companheiro, não importando que situações hajam. Porém, tal como dá, também quer receber. Seu fanatismo pelo equilíbrio a fará desditada se somente ela for sacrificada.
Necessita de continuadas doses de surpresas e pequenos prazeres. Se tiver feito algum esforço, será para ela a “LEI DO EQUILÍBRIO”; então, que se lhe dê um pouco de ociosidade, de tempo livre, para que possa dar “corda” à sua imaginação. Requer não ser maltratada de maneira alguma, mas se existir alguns probleminhas de atritos, logo os perdoará se receber uma grande dose de calorosa e refinada gentileza.
Formidável colaboradora de seu companheiro para levá-lo ao êxito, em especial no relativo aos conflitos sociais, porém isso se o varão se comportar sempre de maneira galante, sedutora e cavalheiresca para com ela, pois do contrário se sentirá defraudada, ainda que seu marido “seja o mago dos negócios e o rei das finanças”.

LIBRA E OS DEMAIS SIGNOS

COM ÁRIES: Será amor ou ódio à primeira vista; são uma dupla muito boa, pois o fogoso Áries se vê bem assentado pelo equilíbrio da balança.

COM TOURO: Dois venusianos que se unem muito bem. O planeta do amor reina, vitorioso, neste casal, sendo sonhador, delicado e romântico em Libra, o qual dará profunda ternura ao lar, enquanto Touro causará a ação tenaz e a segurança. Sem dúvida, aqui a paixão e o amor triunfarão.

COM GÊMEOS: Boa união, em especial pelas suas aspirações à mudança e ao sair da rotina. Libra dará um pouco de estabilidade ao volúvel geminiano, para que este “pouse” com brilhantez.

COM CÂNCER: Um pouco difícil, já que Libra é extrovertido e Câncer é o contrário, o que poderá provocar conflitos. Câncer com sua constante exigência de não ser esquecido, vai se sentir constantemente abandonado pelo libriano.

COM LEÃO: Bom casal, pois Libra saberá comportar em si todos os elementos que fazem com que Leão se acomode; a paixão de Leão se harmoniza com o refinado sentimentalismo libriano. Leão deve prevenir-se de seu caráter absorvente e muito “mandão”.

COM VIRGEM: As constantes críticas de Virgem podem molestar mais do que a conveniente Libra, que não gosta de ver quebrada sua harmonia. Libra pode passar um pouco de sua beleza ao seu frio e raciocinador par.

COM LIBRA: Boa união; nas dificuldade sabem se equilibrar; na felicidade compartilham afagos e estímulos, para tornarem a vida mais fácil e suportável.

COM ESCORPIÃO: Bom enlace, pois o fogoso Escorpião unirá a ação ao sentimentalismo libriano, e este poderá suavizar a “marcialidade” escorpiônica.

COM SAGITÁRIO: O inovador e inquieto Sagitário complementa o gosto pelo diferente do libriano; ambos humanistas e filantrópicos, gostarão de compartilhar experiências em seu mundo social.

COM CAPRICÓRNIO: Saturno pode trazer a este casal um frio aborrecimento. A balança não pode suportar o perfeccionismo do Cabrito. Necessitam de grande esforço para se complementarem.

COM AQUÁRIO: Boa união; configuram um grande casal pelo seu idealismo e a realização de seus sonhos; compartilham seu gosto pela sociabilidade.

COM PEIXES: Pode indispor a Libra o mistério e a hipocondria do peixe; o pessimismo marcado do Peixes desagradam ao libriano, que não gosta de ver a incidência saturniana em Peixes, o qual necessita controlar sua imaginação misteriosa.

Extato da Obra Astrologia Esotérica (Autor Desconhecido)

anterior                                                                                                                                                                                                                                                                 próximo

Uma resposta para "Astrologia Esotérica – Interpretação da Obra de Johfra – Libra"

  1. MARIA APARECIDA SOUZA PEREIRA Enviado em 06/24/2017 às 18:55

    artgo mut bom e esclarecedor.
    ]

Deixe uma resposta

*