Artigos

Astrologia Esotérica – Interpretação da Obra de Johfra – Virgem

ASTROLOGIA ESOTÉRICA – VIRGEM

Virgem, o sexto signo zodiacal está identificado com a Ísis egípcia; por estar governado por MERCÚRIO, e devido à sua relação com o número 6 (seis), ele se relaciona com o hermafroditismo, ou seja, o estado em que as forças são duais, posto que contém as forças positiva e negativa em uma só; daí que seja representado por dois triângulos ou quadrados, entrelaçados, para darem lugar à estrela de seis pontas (fogo e água harmoniosamente unidos) ou à de oito pontas (estabilidade e instabilidade). A expressão máxima da Energia-Consciência representa o nascimento das forças divinas.
No primeiro plano, um maravilhoso anjo andrógino, com uma grinalda de flores por diadema, tem suas vestimentas caindo a o solo, fundindo-se com o prado de fecunda vegetação.
Virgem nos recorda o Unicórnio já antes estudado (e que aparecerá de novo em Sagitário); o Unicórnio, que se supõe ser inalcançável para os caçadores graças a sua velocidade e fortaleza, pode ser pego através de um método, de um meio infalível: para se poder caçá-lo uma virgem, colocada em meio ao campo, atrairá irremediavelmente o Unicórnio, o qual cairá rendido e manso aos seus pés.
A “semente” fecunda e selecionada aparece simbolizada pela espiga na mão direita do anjo, enquanto que na outra carrega, no OVO portador da chama que tudo vivifica, a potência de HARPÓCRATES.
Sobre o lado inferior direito do anjo, encontramos uma pequena fornalha (o ATANOR) e um aparelho para destilação, claras alusões à Alquimia Sexual; também ali se acha alerta o CHACAL, ou pequeno coiote, que representa a agilidade e a atenção que tal operação requer.
No lado esquerdo inferior do anjo, duas aves ÍBIS, com suas cores em BRANCO e VERMELHO, fazem referência à transmutação; ademais, sendo aves aquáticas que se alimentam de alguns animais daninhos de pequeno porte e, portanto os destroem, demonstram assim a perfeição da obra. Essas pisam em pergaminhos e livros alquímicos gnósticos, em cuja folha central se delineia a Árvore da Vida com seus 22 (vinte e dois) sendeiros de Luz.
Os legendários 4 (quatro) animais que regem as operações tântricas visualizam, ou enquadram, a um Templo em que está OSÍRIS, o qual representa o PAI, esperando o retorno do filho pródigo.
Acima se vê um torvelinho, qual Galáxia Criadora, de Mundos, ou Universos Paralelos.
Vemos de novo o sábio macaco Cinocéfalo, com a balança que equilibra a Grande Obra; no prato visível da balança se pode notar a presença de uma pluma, que é a ausência dos Egos (ou defeitos). Coberta pelo quadrado, vemos a Cruz de Santo André, e também os pontos dos Cavaleiros Gnósticos Templários.
Sobre o costado direito superior da pintura, o Deus Mercúrio dirige toda a Obra, e na qual não poderiam faltar de maneira alguma as duas serpentes da sabedoria (os dois cordões ganglionares, Ida e Pingala), repletas de Luz, com o uma nevoa de fogo radiante. Os pinheiros, o ovo harpocratiano e o Rio fecundante das Águas Vivas, recordam-nos o ONFALO, símbolo do LINGAM criador.
O Cinocéfalo, com o seu conhecimento dos “extratos submersos da terra”, nos leva até o “OMPHALOS” que segundo os Mistérios de Delfos, é uma pedra branca colocada no centro do planeta e que simboliza o Centro Cósmico, e se pode ver o seu significado acentuado com a presença da Galáxia, na pintura, Osíris estende o significado do Onfalo no que se refere à comunicação entre os mortos, os homens e os Deuses.
Pode-se ver que há ovos escondidos por todas as partes, entre as folhagens, além daquele que é levado na mão do anjo, o qual é atribuído da VIRGEM antes, durante e depois do parto, ou seja, a Serpente Alada de Luz, a Mãe Virgem KUNDALINI, segue sendo a mesma antes, durante e após a gestação do MESTRE. A colocação do Onfalo em qualquer parte da lâmina SACRALIZA este lugar e o transforma em entorno do CENTRO DO MUNDO. A construção material do Onfalo (o Umbigo-OMEYOCAN) é feita de pedra na forma de pilastra, que nos lembra o “batismo” de água e fogo; é por isso que esses dois elementos reinam na pintura. Os MENIRES tem a mesma finalidade, e sua potência se acentua quando são representados na forma de uma pedra ovoide. A sabedoria dos gregos magnífica esta imagem simbólica, fazendo com que o pétreo ovo seja rodeado por uma serpente; é assim que se sexualiza o principio cósmico, que parece ser manipulado por Mercúrio, ainda que verdadeiramente este esteja muito distante.
A representação de que TUDO NO UNIVERSO É SEXO, o UNIVERSO É SEXUAL, tal como se afirma na obra “EL MISTERIO DE LOS UNIVERSOS PARALELOS”, consubstancializa-se pela assimilação do princípio ativo masculino, ou a PILASTRA, e o feminino, ou o OVO do mundo, sustentado pelo anjo; o Lingam e o ovo rodeado por uma serpente.
A Galáxia, acima, dá a ideia de um torvelinho que emana de um ponto central, ao qual tudo retorna. Esse centro cósmico, temporal, espacial, físico e metafísico, tem sua densificação (para o raio chinês) no “buraco do disco de Jade”, unindo o centro com o não ser do vazio místico, e também com a pirâmide quadrangular, que dominava os feudos, dando cada face a um ponto cardeal e o vértice ao centro. Se o leitor desejar ampliar-se nesse profundo tema, lhe recomendamos a obra “A Pedra Fundamental Viva”.
O chacal, ou pequeno lobo, que atrai a atenção e que está também em estado de alerta, era símbolo de valor para os romanos e egípcios, razão pela qual se o colocava em diversos monumentos de todo o mundo, como os guardiões dos mesmos. O lobo significa também a ideia de aniquilamento, no caso dos gnósticos, de toda sorte de vícios e defeitos; tal é o caso do monstruoso lobo nórdico, FENRIS, para o qual não existiam cadeias que o atassem nem cárceres que o detivessem, sendo por isso preso no interior da terra.
O ATANOR e o aparelho para destilação nos recordam o Lingam que, mais que uma representação do falo, o é da união de ambos os sexos. Na China, tal Lingam é denominado KUEI, simbolizado por um retângulo oblongo de jade, terminado por um triangulo, enquanto que este está marcado com um símbolo da URSA MAIOR (consulte os livros do ZODIACO HUMANO e ASTROLOGIA HERMETICA, de SAMAEL AUN WEOR).
Os nativos de Virgem tem como Regente RAFAEL, e a cor na qual devem envolver-se durante suas meditações, para aniquilar o ego animal, ou defeitos que carregamos, é o AMARELO.

DEFEITOS
(entre eles, podemos citar):
Cinismo; crítica mordaz; ceticismo; estreita mentalidade; hipocrisia, fingimento; negligencia; tirania para com os subordinados; mania na alimentação e mudanças constantes de ambientes e de amizades.

VIRGEM E O AMOR:
Crítico e de agudo raciocínio, tem uma inata tendência de impedir as manifestações amorosas, a tal ponto que extremamente pode parecer frio; porém, verdadeiramente, sua capacidade de amor é grande, ainda que se expresse muito apagada.
O nativo de Virgem é demasiadamente dado ao raciocínio, e ele se manipula pela capacidade cerebral, e não pelo afeto e a voz do coração; tudo passo pelo peneiramento analítico de suas elucubrações cerebrais. É inflexível no seu perfeccionismo, pelo que resulta duro com seu companheiro de toda vida (se o puder ser) para que não haja oposição ou desavenças, dada sua rigorosa analise; porém, pode cooperar para facilitar as coisas.
Antepõe sempre o cérebro ao coração, ainda que o sexo saia perdendo; assim, não se verá nunca um virginiano como um amante apaixonado, entre aos ardores eróticos. Necessita acabar, indispensavelmente, com o “eu” perfeccionista que faz com que a vida seja difícil para ele e para seu cônjuge. Necessita passar metodicamente, antes do matrimonio, por uma “calculada” amizade, o que requer companhia, dialogo e interesse intelectual. Acabar com o defeito das crítica é indispensável para não sofrer e, em especial, para não fazer sofrer.

O HOMEM DE VIRGEM:
Agrada-lhe mostrar-se ágil e convincente nos inícios do jogo amoroso, coisa que lhe resulta fácil, por causa de seu caudal de conhecimentos, agilidade mental, correção no modo de se expressar, e das maneiras, etc. Após um período prolongado de peripécias intelectuais e flertes, pode iniciar-se no serio idílio. Porém, quando chega o momento decisivo, Virgem se retrai, como que desconcertado, pois não pode abandonar seu campo cerebral para ingressar no terreno sentimental do coração.
Embora não sendo minucioso no amor, é perfeccionista na rotina doméstica; fiel com seu cônjuge, sempre que a balança matrimonial estiver equilibrada. O melhor companheiro para si mesmo é um outro cerebral e calculista, como ele. A esposa de um Virgem terá que se adaptar ao seu aspecto crítico e prático.

A MULHER DE VIRGEM
Tampouco esta dá campo à intimidade; é descontraída e não necessita de afeto, rotineira, perfeccionista, laboriosa e prolixa, às vezes em excesso, amante da ordem e do asseio; afortunadamente, ela pode se adaptar ao companheiro de matrimonio, afrouxando sua rigidez cerebral. Pouco terna, é serviçal, dá conforto e segurança; adora seus filhos e é capaz de todos os sacrifícios, porém será um pouco dura com eles, dada a rigidez do caráter mercuriano, o que revela que Virgem é boa administradora, e dona-de-casa quase perfeita, isso, claro, se não fosse seu exigente perfeccionismo.

VIRGEM E OS DEMAIS SIGNOS

COM ÁRIES: Difícil dupla, já que o orgulho e o ímpeto ariano não permitirá a crítica constante e tenaz de Virgem, que é fria e constante, até a exasperação.

COM TOURO: O caráter austero de Virgem é um atrativo para Touro; unem-se na identificação de aspirações, e podem tirar proveito dessa sua tenacidade. Assemelham-se no amor ao lar, ao bem-estar que este proporciona, e tem a mesma alegria pelos filhos.

COM GÊMEOS: O ordenado e “enquadrado” virginiano se verá molestado pelo volúvel geminiano, e este o será pelas críticas mordazes de Virgem, que o afetará profundamente, e que não quererá aceitá-las. Vão se atrair por causa do intelecto conferido por Mercúrio, mesmo que este afete cada um diferentemente.

COM CÂNCER: é outro que se sensibiliza muito com as críticas viperinas, e sofrerá grandemente, pelo seu caráter sentimental, romântico e sonhador, do qual o frio virginiano carece. No entanto, acabando com os múltiplos defeitos, Câncer se apoiando na segurança de Virgem, e este, na espiritualidade dele, tudo pode marchar a todo vapor.

COM LEÃO: O amante e apaixonado Leão, e o misterioso Virgem, podem unir essas qualidades para se “prenderem”; bom complemento, no qual Leão se verá apoiado a triunfar pelo raciocinador virginiano, dando-lhe um pouco de sua estabilidade e mesura, e isso pode beneficiar ao fogoso Leão; é indispensável recordar que Virgem necessita acabar com o feio vicio da crítica.

COM VIRGEM: Podem unir-se muito bem, sempre e quando a crítica desaparecer por completo do “mapa” matrimonial.

COM LIBRA: Podem se harmonizar: o equilíbrio e a paz librianos podem ajudar grandemente ao virginiano, se não existir, repetimos, a destrutora crítica, mordaz e constante. Se Virgem receber de Libra emoção, e este receber prudência e disciplina, tudo andará sobre rodas.

COM ESCORPIÃO: Muito boa dupla, cada um pode elevar as qualidades do outro; Virgem se adapta ao despotismo escorpiônico e este, por sua vez, realça e acha agradável a mentalidade analítica do virginiano.

COM SAGITÁRIO: Difícil adaptação no começo, pois Virgem se desconcerta ante o espírito livre do Centauro.

COM CAPRICÓRNIO: Entendem-se razoavelmente, porém a estabilidade de ambos pode se transformar em monotonia e inércia. No entanto, se unem ambos suas capacidades de perseverança, vão ao triunfo; Capricórnio necessita agilizar-se mais.

COM AQUÁRIO: Bom casal: conjugam bem seu idealismo e humanismo; agradam-lhes as situações de inovação, porém conservando sempre a paz, a harmonia e a alegria.

COM PEIXES: Como esposos complementares, poderá ser um ou outro: amor ou ódio à primeira vista. Se se entenderem, o Peixe sonhador e sentimental se harmonizará perfeitamente pelo raciocinador Virgem.

Extrato da Obra Astrologia Esotérica (Autor Desconhecido)

anterior                                                                                                                                                                                                                                                            próximo

Uma resposta para "Astrologia Esotérica – Interpretação da Obra de Johfra – Virgem"

  1. CLAUDIA LUTZ Enviado em 09/13/2017 às 11:57

    Adorei!

    Bem redigido e o conteúdo apropriado.

Deixe uma resposta

*