Artigos

Eus Causa O que são?

Eus Causa | O que são?

Os Eus causa são aqueles eus que estão vinculados com as leis de causa e efeito, saiba neste artigo o que são e como trabalhar para eliminá-los

Eus Causa O que são

Os múltiplos elementos subjetivos constituintes do EGO tem raízes causais. Os eus causas estão vinculados às leis de causa e efeito. Obviamente, não pode existir causa sem efeito nem efeito sem causa.

Seria inconcebível a eliminação dos diversos elementos inumanos que carregamos dentro de nosso interior se não eliminássemos radicalmente as causas intrínsecas essenciais de nossos defeitos psicológicos. Obviamente os eus causas estão intimamente relacionados ou associados a determinadas dívidas cármicas.

As duas palavras KARMA e DHARMA, querem dizer AÇÃO E CONSEQUÊNCIA de acordo ao princípio físico e metafísico não existe causa sem efeito nem efeito sem causa. Ou seja, que toda palavra, ação ou pensamento negativo dão origem a uma consequência ou efeito negativo chamado KARMA ou castigo. Porque tudo isto explicaremos:

O EU  é trio de matéria, energia e consciência. Se lhe chama de Eu Psicológico porque como energia está distribuído em todo o corpo. Devemos conhecer e compreender que a Psique não tem em nós um lugar definido e se encontra em átomos, moléculas e células de nosso organismo. É necessário submeter a um estudo a esse trio de aspectos que caracterizam o ego.

Que energia é essa que dirige ao EU?

É uma energia de tipo mental que se encarrega de nutrir a cada um dos elementos ou EUS  que se apresentam em na sucessão de pensamentos, que de momento aparecem em nossa tela. Quando dizemos que se compõem de matéria o corpo, estamos referindo a forma em que este assume em qualquer área de nossa mente ou de nossa Psique. Podem sem Asideoplásticas ou as cintas teleoginoras que carregamos em nossa mente e em nosso subconsciente. É necessário humanizar a mente porque nossos pensamentos, pelas características do agregado que os emite, são animalescos, ou seja, tem figuras de amimais. Quando dizemos que um Eu Psicológico  possui consciência, nos referimos à parte de nossa essência que está atrapalhada em seu interior e por uma dedução lógica podemos compreender que ele dirige a parte de nossa consciência que tem para poder justificar a razão de sua existência.

Eus Causa | Como se forma um EU? Exemplos:

  • Um homem vê a uma dama pela qual sente qualquer admiração, quiças pelas suas virtudes, sua forma de ser, etc. Essa admiração, que sente por ela significa consciência que já lhe depositou. Através da mente emite pensamentos até essa pessoa os quais podem estar cheios de sinceridade e de boas intenções, porém – que a donzela queira sua liberdade, que anele mudar de casa, que deseje se casar para sair do lar paterno e ter uma vida melhor, em parte é lógico, já que ela tem o direito de ser mãe. Porém, já em sua vida de esposa descobre que não é livre, e com resignação seguirá carregando as cadeias da escravidão.
  • O em pregado, cansado de tantos regulamentos, quer ser livre. Porém, consegue sua independência, o problema prossegue, pois continua sendo escravo de seus próprios interesses e preocupações.
  • Cada vez que se luta pela liberdade, apesar das vitórias, termina-se defraudado. Tanto sangue derramado inultimente em nome da liberdade, por quanto, continuamos escravos de nós mesmos e dos demais. As pessoas lutam por palavras que nunca entendera, ainda que os dicionários as expliquem gramaticalmente.
  • Um homem não pode ser livre se em seu interior leva o eu do ódio, porque sempre será escravo de seu inimigo ou da pessoa com a qual não pode conviver, porque não se sente bem com essa pessoa.
  • Uma pessoa nunca poderia ser livre se não aceita a seus semelhantes como eles são, porque sempre viverá mortificado pelo que não gosta das demais pessoas.
  • Uma pessoa não pode ser livre se vive escravo dos vícios e das paixões.
  • Uma pessoa também não poderá ser livre se vive escravo dos dogmas fanatismos religiosos, políticos, porque sempre viverá preocupado de como vencer a seus adversários.
  • Uma pessoa não poderá ser livre se é escravo dos bens que possui.
  • Uma pessoa não poderá ser livre se de instante em instante se lembra de um passado e pensa em um futuro incerto que não existe.
  • Em que consiste a escravidão? O que é que nos mantém escravos? Que grades são estas? Tudo isto precisamos descobrir. Uma pessoa não poderá ser livre se não aprende a situar em seu justo lugar seus pensamentos negativos, emoções negativas, paixões negativas, porque lhe mortificará de instante em instante e não lhe deixará ter paz.

Para melhor compreendermos que não somos livres nos damos conta que o ser humano poderia ser chamado de Homem  Máquina. O homem esse pobre animal intelectual que se qualifica equivocadamente de homem, inventou milhares de máquinas. Ele sabe muito bem que para poder se servir de uma máquina necessita às vezes de longos anos de estudo e aprendizagem. Mas, quando se trata de si mesmo, esquece-se totalmente deste fato, ainda que ele mesmo seja uma máquina mais complicada do que todas as que inventou.

A máquina humana não tem liberdade de movimento. Ela funciona unicamente por múltiplas e variadas influências interiores e choques exteriores.

Todos os movimentos, atos, palavras, idéias, emoções, sentimentos e desejos da máquina humana são provocados por influências exteriores e por múltiplas causas interiores estranhas e difíceis.

Eus-Causa-O-que-são-maquina-humana

Todo ser humano possui 07 centros básicos fundamentais e dois de tipo superior:

  • CENTRO INTELECTUAL – situado no cérebro.
  • CENTRO MOTOR OU DE MOVIMENTO – Situado na parte superior da espinha dorsal.
  • CENTRO EMOCIONAL – Situado no plexo solar.
  • CENTRO INSTINTIVO – Situado na parte inferior da espinha dorsal.
  • CENTRO SEXUAL – Situado nos órgãos sexuais.
  • CENTRO EMOCIONAL SUPERIOR – Situado no coração.
  • CENTRO INTELECTUAL SUPERIOR – Situado no cerebelo.

Todo Centro se divide basicamente em três partes:

  1. Parte mecânica.
  2. Parte emocional.
  3. Parte intelectual.

Todo os centros também são chamados de cilindros, porque são como o mecanismo de um automóvel, o qual se movimenta por meio de cilindros ou partes importantes em que se dividem, o funcionamento do automóvel para que caminhe segundo os desejos do condutor. A parte mecânica de qualquer centro trabalha com atenção igual a zero e somente sabe comparar o positivo com o negativo. O bom e o mal, o sim contra o não.

A parte emocional de qualquer centro trabalha com atenção plena, natural, espontânea. A parte emocional, por exemplo, traz consigo o desejo de aprender, o ânimo de obter conhecimento.

A parte intelectual de qualquer centro funciona com atenção dirigida pelo esforço e a vontade. A atenção não é atraída pelo objeto da observação e da reflexão e é que o homem mantém a atenção em uma coisa embora não lhe goste. Ali entra um elemento muito importante A VONTADE.

 

ESTUDOS DE CADA UM DESTES CENTROS:

 

CENTRO INTELECTUAL:

  • O homem não sabe fazer uso de seu primeiro centro psíquico ou intelectual porque o coloca ao serviço das teorias inconscientes e armazena nele todo o conteúdo de muitas bibliotecas, cria suas próprias idéias e conceitos que fazem teimoso e caprichoso diante à realidade que ele mesmo desconhece.

CENTRO EMOCIONAL:

  • O homem gasta torpemente olhando filmes de aventuras, novelas, lendo revistas sem importância educativa ou literária. Queimam energias fazendo forças para que seu time favorito ganhe, seu ciclista de preferência, seu atleta preferido. Estas emoções fazem do homem uma máquina dominada pela parte negativa deste centro, se identifica com tudo isto e se converte em um autômato. Este centro devemos equilibrá-lo da seguinte maneira. Exemplo: Se alguém vai a uma partida de futebol ou qualquer outro esporte, deve ir com naturalidade sem se identificar. O Centro emocional encontra-se intimamente relacionado com a não expressão das emoções negativas.

CENTRO INSTINTIVO:

  • Este centro pode converter-nos em santarrões ou verdadeiras bestas humanas. Uma vez, um pacífico cidadão cheio de vontade e outras vezes cheio de rancor, ódio que é capaz de matar a seus semelhantes, o instinto nos pode levar a vonerter-nos em selvagens ao reagirmos em uma maneira iracunda. Este centro é um ladrão de energia porque com as explosões de ira queimamos bilhões de átomos energéticos. Tudo isto acontece pela maneira como este centro se encontra trabalhando em nós. Devemos mudar estes atos negativos dando-lhe um bom uso. Como é o amor, a sinceridade, a doçura, a piedade.

CENTRO MOTOR

  • É chamado também de movimento e é utilizado em forma negativa. Exemplo: Esportes brutais, os que coloca em joga a vida das pessoas que participam. Falemos agora da vida de um ciclista. Começa a correr aos 18 anos e aos 30 já tem gastado uma enorme quantidade de energia o qual o fará velho pré-maturamente.

PRÁTICA PARA EQUILIBRAR O CENTRO MOTOR:  a meditação, o jejum, a oração consciente, isto coloca o centro motor em harmonia com o infinito chega a existência estados de relaxamento voluntários que ajudam ao equilíbrio da função motriz.

CENTRO SEXUAL –

  • O homem comum é por natureza obediente às influências negativas do sexo. O sexo é a Adega energética de nossos organismo, quando esta se esgota chegam as enfermidades orgânicas, a incapacidade mental, sexual e física a decrepitude e a morte. No centro sexual encontra-se o maior poder que pode libertar o homem e o maior que pode escravizar-lhe radicalmente.

Nós os seres humanos devemos dar-lhe um bom uso a estes centros permitindo que haja um equilíbrio entre cada um deles. O animal intelectual é uma máquina, porém uma máquina especial. Se essa máquina chega a compreender que deixar de ser máquina, se for bem conduzida e se as circunstâncias  permitirem, poderá deixar de ser máquina e se converter em homem.

Cada idéia,  paixão, vícios, afeto, ódio, desejo tem sua correspondente entidade  e o conjunto de todas essas entidades formam o Eu pluralizado da Psicologia Revolucionária.

Eus-Causa-O-que-são-busca-liberdade

É necessário compreender que a LIBERDADE  é algo íntimo que se processa internamente mediante o trabalho consciente.

Todos estes pontos nos fazem compreender que é necessário neste mesmo instante trabalhar intensamente sobre todos esses elementos infra humanos que levamos em nosso interior e que não nos deixam ter paz. Porque antes de conseguir a PAZ temos que ser livres e para ser livres temos que eliminar o EU, o MI MESMO que tem a consciência engarrafada.

A liberdade se processa em cinco pontos:

  • Livrar-nos da falsa personalidade egoísta que temos;
  • Livrar-nos da mente terrena lunar;
  • Livrar-nos das emoções negativas;
  • Livrar-nos dos instintos negativos;
  • Livrar-nos do Eu Psicológico para que nasça em nós os dos instrumentos do Ser: Intelecto Superior e Emoção Superior.

Autoconhecendo-nos, vendo o que somos interiormente, descobriremos a porta da autêntica LIBERDADE.

 

Cont……nesse momento já está-se formando um novo eu. Por último começa a sentir atração, desejo e paixão, indicando que o eu já formou-se. Assim um eu de cobiça, inveja, amor próprio.O primeiro que atrapalha um eu que está se formando é consciência, depois energia e por último assume sua forma.

Só o arrependimento mais profundo e as respectivas negociações com os Senhores da Lei podem dar-nos a alegria de desintegração de todos os elementos causais, o que de uma ou de outra forma pode nos conduzir à eliminação definitiva dos elementos indesejáveis.

As causas intrínsecas de nossos erros podem certamente ser erradicadas de nós mesmos graças aos eficientes trabalhos do Cristo Íntimo.

Obviamente, os eus causas costumam Ter complexidades espantosamente difíceis. Por exemplo, um estudante esoterista poderia se frustrar com seu instrutor e em conseqüência disso esse neófito poderia se tornar um cético. Neste caso concreto, o eu causa que se origina com tal erro, somente poderá ser desintegrado através de um supremo arrependimento íntimo e com negociações esotéricas muito especiais.

O Cristo Íntimo trabalha intensamente dentro de nós, eliminando a base de trabalhos conscientes e padecimentos voluntários todas essas causas secretas de nossos erros. O senhor de perfeições deve viver em nossas íntimas profundezas todo o drama cósmico.

Deixe uma resposta