Artigos

Como Triunfar na vida?

triunfar.na.vida.gnosis.brasil

Como Triunfar na vida?

É necessário triunfar na vida. Se verdadeiramente você quer triunfar, deve começar por ser sincero consigo mesmo, reconhecendo seus próprios erros.
Quando reconhecemos nossos próprios erros, estamos no caminho de eliminá-los.
Todo aquele que corrige seus erros, triunfa inevitavelmente.
O homem de negócios que culpa, diariamente, os outros pelos seus próprios fracassos e, jamais, reconhece seus próprios erros, não poderá triunfar. Lembre-se de que os grandes criminosos se consideram santos. Se visitamos uma penitenciária, comprovamos que nenhum ladrão ou criminoso se considera culpável. Quase todos dizem a si mesmos: “Eu sou inocente”.
Não caia no mesmo erro; tenha a coragem de reconhecer seus próprios erros. Assim se evitarão também males piores.
Quem reconhece seus próprios erros pode formar um lar feliz. O político, o cientista, o filósofo, o religioso, etc., que chega a reconhecer seus próprios erros, pode corrigi-los e triunfar na vida.
Se você quer triunfar na vida, não critique ninguém. Quem critica os demais é débil, enquanto o que se autocrítica de instante a instante é um colosso. A crítica é inútil porque fere o orgulho alheio e provoca a resistência da vitima que procura, então, justificar-se. A crítica produz uma reação inevitável contra seu próprio autor. Se você quer verdadeiramente triunfar, escute este conselho: Não critique ninguém.
O homem ou a mulher que sabe viver sem criticar ninguém não provoca resistência nem reações de parte do próximo e, conseqüentemente, cria um ambiente de êxito e progresso. Por outro lado, o que critica os outros se enche de inimigos. Temos que recordar que os seres humanos estão cheios de orgulho e de vaidade, e este orgulho e esta vaidade inerentes a eles produzem uma reação (ressentimento, ódio, etc.) que se dirige ao que os criticou. Concluímos, então, que o que critica os demais inevitavelmente fracassa. Aquele que quiser corrigir outros é melhor que inicie por corrigir a si mesmo. Isto dá melhor resultado e é menos perigoso.
O mundo está repleto de neurastênicos. O tipo neurastênico é crítico, irritável e, também intolerante. As causas da neurastenia são muitas: impaciência, cólera, egoísmo, soberbia, orgulho, etc.
Entre o Espírito e o corpo existe um mediador: o sistema nervoso. Cuide de seu sistema nervoso. Quando ele estiver irritado por algo que canse, é melhor fugir disso. Trabalhe intensamente, porém com moderação; lembre-se de que o trabalho excessivo fadiga. Se você não leva em conta a fadiga, se continua com o trabalho excessivo, então, a fadiga é substituída por excitação. Quando a excitação se torna doentia, converte-se em neurastenia. E necessário alternar o trabalho com o descanso agradável; evitamos, assim, o perigo de cairmos na neurastenia.
Todo patrão que quer triunfar, deve cuidar-se do perigo da neurastenia. O patrão neurastênico critica tudo e se torna insuportável. O neurastênico aborrece a paciência e, como patrão, se converte em verdugo de seus empregados. Os operários que têm que trabalhar sob as ordens de um patrão neurastênico e crítico terminam odiando o trabalho e o patrão. Nenhum trabalhador descontente trabalha com prazer. Muitas vezes as empresas fracassam porque os operários não trabalham eficientemente quando estão descontentes.
O neurastênico, como operário ou empregado de escritório, se torna rebelde e termina sendo despedido do trabalho. Todo trabalhador neurastênico procura a ocasião de criticar o patrão. Todo patrão tem orgulho e vaidade e, é claro, que se sente ofendido quando seus empregados o criticam. O trabalhador que vive criticando o patrão termina perdendo o emprego.
Cuide de seu sistema nervoso. Trabalhe com moderação. Divirta-se salutarmente. Não critique ninguém. Procure ver o melhor em todos os seres humanos.
EXERCÍCIO PARA DOMINAR A IRA
Você se sente irritado ou cheio de ira? Está nervoso?

Reflita um pouco; lembre-se de que a ira pode provocar úlceras gástricas. Controle a ira por meio da respiração: aspire lentamente (não aspire pela boca, aspire pelo nariz, mantendo a boca bem fechada) o ar vital, contando mentalmente 1, 2, 3, 4, 5, 6. Retenha, agora, o alento contando, 1, 2, 3, 4, 5, 6. Exale, depois, o alento muito lentamente pela boca contando mentalmente 1, 2, 3, 4, 5, 6. Repita o exercício até que a ira passe.

Deixe uma resposta

*