Artigos

Inquietude Espiritual – Por que a sentimos?

Inquietude Espiritual

 

Muitas e muitas vezes, nos damos conta de que temos uma inquietude espiritual, que se expressa através de sentimentos e pensamentos.

Nos deparamos com algumas das seguintes questões: Por que ganhamos esse corpo físico? Por que sentimos que deveríamos fazer mais por nós mesmos e pelo mundo? Por que sentimos que a vida é muito mais do que apenas, nascer, crescer e morrer, ter bens materiais e “aproveitar” a vida?  E, afinal, qual o objetivo da nossa vida?

Você gostaria de saber também?

Pois, vamos entender o porquê e como isso acontece. No livro, “A Sabedoria do Ser” de Samael Aun Weor, está registrada a resposta desse grande Ser, quando fizeram-lhe essa pergunta:

 

 – Gostaria de saber o porquê de uma inquietude tão grande que tenho desde muito, muito tempo. Quem sou, de onde vim, que papel desempenho ou se tenho alguma missão? Quero saber algo relacionado com tudo isso.

 

Resposta de Samael Aun Weor:

“- São respostas a perguntas vitais: para onde vou, qual é o objetivo de minha existência, etc? Inquestionavelmente, temos que saber se sente ou não, diríamos, alguma inquietude de tipo espiritual. Obviamente que se tu não sentisse nenhuma inquietude de tipo espiritual, não estaria aqui. Isso é claro. Agora bem, por que sente a inquietude espiritual? Se alguém a sente é porque a CHISPA DIVINA, a CHISPA IMORTAL, sua MÔNADA, para falar mais claro, em linguagem de Leibnitz, está trabalhando a ESSÊNCIA e por isso há inquietude.

Quando a MÔNADA não trabalha, na ESSÊNCIA tampouco existe a inquietação. Como a ESSÊNCIA poderia sentir anelos, se a CHISPA DIVINA não trabalha?

Agora, a CHISPA DIVINA trabalha a ESSÊNCIA quando a CHISPA quer se autorrealizar, chegar à Maestria. Mas se a CHISPA DIVINA não quer chegar a Maestría jamais, pois então a ESSÊNCIA não trabalha e não há inquietação íntima interna. Agora, bem, em ti há inquietude, nota-se que a CHISPA DIVINA, sim, está trabalhando. Obviamente, pois, quer saber se há alguma missão na tua vida, não?

A mesma pergunta, pois, encerra uma profunda significação. Se não tivesse missão específica e definida na vida, tampouco faria essa pergunta, pois que não pode existir efeito sem causa, nem causa sem efeito. Se existe a pergunta, é porque existe a missão; se não existisse a missão, a pergunta não seria feita. Agora quer aclarar qual a missão, pois os mesmos feitos o estão dizendo. Se observas cuidadosamente, as relações que tem tido na vida, todas as interrelações, poderá dar conta.”

Então, e você? Vai deixar sua Mônada trabalhar sozinha e você não vai fazer nada por ela?

Para entender mais sobre a vida, lidar melhor com ela e fazer algo por si mesmo, procure no nosso site o local mais próximo a você e faça um curso de Gnosis.

Compartilhe com seus amigos para que eles também descubram que têm inquietudes espirituais.

Deixe uma resposta

*