fbpx

Artigos

Xadrez & Esoterismo

O Xadrez possui um lado esotérico que poucos conhecem. Além de um ótimo exercício cerebral de estratégia, ativa nossa intuição mais profunda

O Xadrez é um assunto encantador, que ajuda a desenvolver a inteligência, e é cheio de mistérios para muitas pessoas. Há os apaixonados pelo assunto é há aqueles que ainda não descobriram a magia desse poderoso e tradicional jogo. O Xadrez existe há muito tempo e passou por muitas culturas, existências e civilizações. Devido sua antiguidade, está ligado a inúmeras lendas cuja veracidade é de difícil comprovação. Para compreendê-lo, diferente do que muitos pensam, não é necessário ser um mestre, basta simplesmente saber que o tabuleiro onde se joga está dividido em 64 casas, divididas igual e alternadamente nas cores brancas e pretas.

Uma das lendas diz que o jogo de Xadrez nasceu na Índia, século VI, com o nome de shaturanga, que significa “as quatro partes essenciais de um exército”, em sânscrito. Em seguida, o jogo seguiu China, onde foi muito desenvolvido e estudado e para a Pérsia. É da palavra persa shah, que significa rei, que surge o nome Xadrez.

Xadrez em xilogravura árabe de 1493

Da Pérsia, o xadrez passou aos árabes, e com as conquistas mouras a partir do século VIII d.C., após 200 anos estaria espalhado por toda a região meridional e central da Europa. Em sua marcha histórica, o jogo enfrentaria vários adversários. A primeira batalha para manter-se vivo foi travada contra o dogmatismo islâmico, logo após a morte de Maomé, em 632 d.C. A religião muçulmana proíbe jogos de azar, mas o xadrez conseguiu manter-se na legalidade como jogo militar. De acordo com Maomé, que em vida foi um exímio enxadrista, servia ao treinamento estratégico, e para ele, a prática do xadrez seria legal desde que não fosse apostado e não interferisse nas preces e rotinas maometanas.

Simbologia das peças do tabuleiro

Representa em si o Jogo da Vida. “A vida é um tabuleiro de xadrez, na qual cada um de nossos atos é uma jogada. Se nossas jogadas são boas, inteligentes e oportunas o resultado será o êxito, saúde e longevidade. Se pelo contrário nossas jogadas são feitas de má-fé, egoístas e inoportunas, o resultado será o fracasso, a enfermidade e a morte.”, destaca Samael Aun Weor.

Numericamente a quantidade de casas num tabuleiro são 64, que para efeitos cabalísticos nos dá um total de 10, o qual representa a Lei da Recorrência, a Repetição, a Retribuição, a Roda do Samsara, as forças evolutivas

A quantidade de casas brancas é 32 (3 + 2 = 5), a lei do Dharma. Em linguagem mística da luz, quando nos iniciamos no tabuleiro da existência nos recebem as forças brancas, ou seja, os peões com suas forças brancas, ou seja, os peões brancos nos dão as boas-vindas, indicando que começamos a Evoluir.

Como quer que nada na Natureza está estático, chega o momento em que se fracassa e caímos nas garras das forças involutivas. A quantidade de casas pretas é de 32 (3 + 2 = 5), a Lei do Karma. Na linguagem mística das trevas, é a decadência, a disfunção e a morte.

Os Peões

Quando enfocamos o jogo nos aspectos militares sobretudo nas cortes medievais, simbolizam os soldados do Rei, que é a base dos planos do peão para que avance, é um germe de debilidade que se cria. Os oito peões são as oito Virtudes da Mãe Devi-Kundalini, que são: Compreensão, Vontade, Verbo, Reto pensar, Reto sentir, Reta maneira de ganhar a vida, que haja Paz e que haja Amor. Também representa o Arcano oito do Tarô (ou seja, o Padrão das Medidas): a Justiça, cada um de nós lutando contra os contratempos. Os movimentos são muito limitados, as sombras do pecado desse Rei Interno de cada um de nós que nunca pecou, tu sabes.

As Torres

Simbolizam o estado de Alerta Percepção e de Alerta Novidade, nos Grandes Mistérios davam ao neófito o Cinzel e o Martelo para que fosse polindo as duas colunas do Templo, a Branca e a Negra, ou melhor, a Dórica e a Jônica. Os Cimentos da torre na época medieval eram de pedra e quase todas as torres estavam feitas deste material, símbolo resplandecente da Energia Sexual.

Os Cavalos

Representam a Ousadia e o valor para eliminar o Medo, sus movimentos descrevem o esquadro e o compasso, tão importantes nos estudos maçônicos. Seus movimentos são em forma de L, que no sistema de numeração romana tem o valor de 50, que decompondo-se nos está indicando a Lei em Rigor.

Os Bispos

Nas cortes medievais conheciam-se com o nome de Bispos e eram os que estavam mais próximos ao Rei; alegorizavam as Lanças, a Urânia-Vênus dos Gregos.

O Rei

Representa a Sabedoria, nosso Real Ser,  a Estrela Interior que sempre nos sorri. Todo o jogo do Xadrez consiste em colocar o rei em uma situação tal que não possa mover-se e então é quando se lhe dá a Morte, o Xeque-Mate. É sabido que terminada uma partida de xadrez se pode iniciar mais uma vez, segundo os acordos dos jogadores, porém, o Rei segue sendo o Rei e este não muda, assim é nosso Real Ser. É o que foi, o que é e o que será.

Deve-se notar que alguns valores que temos dado não são os valores clássicos, senão Esotéricos

A Rainha

Não poderia faltar no Tabuleiro da existência e no xadrez o elemento feminino, o princípio universal da vida, o qual resplandece em toda a Obra, o próprio Deus; o Rei desdobrado em Mulher, o Eterno Amor que flui e reflui em todo o criado. Desde crianças pedimos suas ternuras porque Ela é a outra metade de nosso Ser e vice-versa.

Sem a Dama, a Rainha, em uma partida de xadrez, nos sentimos sem o poder supremo, estamos perdidos

Se fazemos um estudo transcendental das diferentes culturas vemos como por trás da glória dos Grandes Homens Ilustres sempre havia uma Mulher, como a Sacerdotisa de Tebas, em meio de tochas falou às multidões, como a Sacerdotisa dos Templos de Mistérios. Reinou no Egito, como Vestal de Delfos, sob o nome de Pitonisa…

Um grande Mestre disse: O Summum da Beleza é a Mulher, a Natureza, a Música, as Flores, uma Paisagem… uma criança nos comove, porém a mulher nos comove e nos atrai, nos inspira e nos provoca.

A liberdade de movimentos da Rainha, num tabuleiro de xadrez, é formidável, os valores fundamentais do xadrez são o Tempo, ou seja, a Rapidez, para realizar os planos, o espaço , o domínio do maior número de defeitos; se as jogadas no xadrez são bem feitas e com força suficiente, se o desenvolvimento e as circunstâncias foras maravilhosos, o resultado será a Vitória.

Na vida, o homem se enfrenta com inúmeros problemas, cada pessoa necessita saber como resolver cada um desses problemas; inteligentemente todo xadrezista sabe que toda solução está no próprio problema, sempre que haja a tranquilidade e equilíbrio perfeitos entre a Mente, a Emoção e o Centro Motor.

No mundo existe uma enorme quantidade de pessoas a quem se lhe proporcionou elementos para triunfar na vida, porém carecem de hábitos e da capacidade para Raciocinar logicamente, porque podemos assegurar que todos os seres humanos somos pedras de xadrez no Tabuleiro da Vida; e sobre nós estão Seres Superiores que umas vezes dão apoio às pedras pretas e outras às brancas.

Cada um de nós está nestes momentos repetindo a mesma partida de sua vida passada, mais as consequências, boas ou más, sob os efeitos da Lei de Recorrência. Jogadores Inconscientes que não aprendemos a jogar inteligentemente e que nosso destino não o decide um só propósito senão milhares e milhares de agregados. psicológicos.

Todos os seres humanos sem um Ensinamento superior somos como uma partida de xadrez sem peões, curtos de inteligência e com muitas limitações, que ignoramos que dentro de nós terríveis possibilidades que devidamente desenvolvidas nos levariam à Vitória Final.

A Gnosis nos convida mediante o jogo ciência a sermos verdadeiros jogadores inteligentes e conscientes, como também para mover dentro de Forças superiores, que farão de nós Homens reais e verdadeiros

O Trabalho do Arcano baseado no Xadrez Esotérico

  • Rei e a Rainha: Simbolizam o homem e a mulher trabalhando na Grande Obra, o Arcano AZF.
  • Os Bispos: São a Lança e a Gadanha, simbolizando desta maneira a Mãe Divina fabricando Corpos e desintegrando Defeitos.
  • Os Cavalos: Simbolizando a força que vai se adquirindo através do trabalho com a energia sexual transmutada, simboliza também a Inteligência, a amizade e o triunfo.
  • As Torres: Simbolizam o Corpo Astral e o Mundo Mental. As saudações JACHIN-BOAZ, que se faz à entrada de todo templo e que o homem e a mulher devem fazer no momento de ir ao trabalho
  • sexual AZF.
  • Os Peões. Indicando as 8 Virtudes da Kundalini e que devemos conquistar para poder ser aceitos por Devi Kundalini.
  • O Tabuleiro: É o jogo da Vida e não sabemos se estamos jogando a última partida.
  • Os Quadrados Pretos e Brancos: Que algumas vezes as pretas nos dão força e outras as brancas. Positivo e negativo. O equilíbrio em tudo.
  • A palavra Xadrez (Em espanhol Ajedrez. A partir de agora, o Mestre Samael explica o significado das letras que compõem a palavra Ajedrez). Simbolicamente vemos a Balança da Justiça Cósmica assim:
  • A letra A: a água, ou seja, o Karma
  • A letra Z: o fogo, ou seja, Dharma
  • A letra D: o equilíbrio que se deve ter em tudo e assim realizar-nos
  • A letra J: simboliza o Bastão dos Patriarcas
  • A letra E: simboliza os Quatro Elementos da Natureza. A Esfinge do Egito milenar. O Verbo
  • A letra R: O fogo Sagrado do Espírito Santo. A Mãe Divina Kundalini.

Maíra Elluké

Artigo inspirado no texto Origens Esotéricas do Xadrez, do V.M. Samael Aun Weor

Uma resposta para "Xadrez & Esoterismo"

  1. Marco Enviado em 08/15/2021 às 22:50

    Voltei a jogar xadrez a algum tempo, principalmente para recuperar a concentração e como hobby, jogando num site internacional que também da pontuação cfe se vence ou se perde, agora já mais adiantado nos estudos esotéricos, vejo claramente também claramente a soberba em mim, o orgulho, a vaidade quando venço e também o amor proprio ferido de morte quando perco ou jogo muito mal. reflexões de um pecador

Deixe uma resposta

*